O que você achou desta postagem?

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Vintage


VINTAGE





Eu sou gay e de alguma forma sempre soube que eu era gay. Quando era criança eu não sabia nem que havia isso, havia tão somente para mim o mundo em que se era criança e o mundo em que se era adulto. E a coisa unica e uniformemente se resumia nisso, vivia-se como criança e vivia-se como adulto, não havia outras distinções. Quando cheguei na adolescência consegui entender melhor quem eu era, um homossexual, e que eu teria que viver diferente do que vivia a maioria das pessoas. E eu aceitei que assim seria. Quero dizer que eu não entrei em conflito comigo mesmo nem com as pessoas do meu convívio. Não convivi com outros homossexuais na minha adolescência, comigo foi assim, não sei com outros homossexuais como lidaram com isso.



Vintage #1
Antiga 1









Vintage #2
Antiga 2









Vintage #3
Antiga 3









Vintage #4
Antiga 4









Vintage #5
Antiga 5



Talvez se eu tivesse na minha adolescência tido convívio com outros homossexuais ou se tivesse tido relações sexuais com homens, eu teria sabido mais sobre a homossexualidade. Como a minha realidade era ir para o trabalho e ir para a escola, significando que eu saia de casa às 6 horas e trinta da manhã e voltava para casa às 23 horas, não sobrava tempo para eu ter amigos. No trabalho eu tinha colegas de trabalho e na escola eu tinha colegas de escola. E com estas pessoas eu não tinha como expressar a minha sexualidade e eu agia como agiam meus colegas, de modo que não adquiri maneirismos e gostos "gays" porque meu convívio era todo com heterossexuais.



Vintage #6
Antiga 6









Vintage #7
Antiga 7









Vintage #8
Antiga 8









Vintage #9
Antiga 9









Vintage #10
Antiga 10



Eu na minha adolescência vivia uma vida bem limitada. E quando eu tivesse uma condição melhor de vida eu poderia fazer escolhas mais pessoais mas por enquanto era necessário que eu vivesse como um heterossexual, mesmo não sendo um. Eu sabia que logo tudo passaria e quando fosse adulto eu poderia ser o que quisesse. Aos 19 anos eu não conseguia deixar de pensar em ter relação sexual com homem, queria saber como isso era. Nos anos 1970 não havia filmes no cinema mostrando "esse" sexo e hoje em dia qualquer computador leva a alguma página da web contendo pornografia homossexual, mas naquela época isso não existia. Como eu não tinha com quem conversar à respeito e não havia mídia que eu pudesse achar a resposta eu não sabia que sexo era esse que acontecia entre dois homens.



Vintage #11
Antiga 11









Vintage #12
Antiga 12









Vintage #13
Antiga 13









Vintage #14
Antiga 14









Vintage #15
Antiga 15



Eu estava cursando o primeiro ano da faculdade de engenharia e a você sabe, é um curpo praticamente frequentado por homens e assim eu tinha proximidade masculina o tempo todo na faculdade. Ficava encantado com o jeito de ser principalmente de alguns deles e os desejava intensamente. Mas havia o impedimento de que eu não podia externalizar minha homossexualidade. Resolvi procurar um homem de noite na rua e o achei. Conversamos e eu disse a ele que eu queria fazer sexo pela primeira vez. Não foi falado em momento algum sobre ativo (top) ou passivo (bottom) porque essa distinção era desconhecida para mim. Quando entrei no quarto do hotel de péssima categoria do centro da cidade eu não sabia como me comportar e não sabia como o parceiro iria se comportar. Tudo naquele momento era uma descoberta, e você sabe, o desconhecido traz riscos.



Vintage #16
Antiga 16









Vintage #17
Antiga 17









Vintage #18
Antiga 18









Vintage #19
Antiga 19









Vintage #20
Antiga 20



Quando eu e este homem ficamos pelados nós dois não conversamos mais, ficamos calados. Só ouvi dele para eu deitar na cama com a bunda para cima. Depois o que aconteceu foi ele deitar sobre mim e me penetrar sem preservativo (não era ainda comum seu uso, um homem jovem e solteiro entrar numa farmácia e pedir preservativo era muito constrangedor!). Foi muito dolorido e mecânico. Ele gozou em pouco tempo e se vestiu e foi embora antes mesmo que eu terminasse de me vestir. Fiquei muito triste comigo mesmo pensando é essa a vida que terei como homossexual? O sexo entre dois homens me pareceu bem sem sentido. E eu pensei comigo deve ser por isso que os heterossexuais (claro, não todos, mas generalizadamente nos heterossexuais que eu convivia) consideram que os homossexuais são promíscuos e lascivos.



Vintage #21
Antiga 21









Vintage #22
Antiga 22









Vintage #23
Antiga 23









Vintage #24
Antiga 24









Vintage #25
Antiga 25



Depois da minha primeira experiência sexual com outro homem eu fiquei muito decepcionado comigo mesmo por ser homossexual. Então a vida sexual de dois homens adultos é isto? Alguém come o cú de alguém. Eu teria que ser ativo ou eu teria que ser passivo? Eu teria que escolher? Me parecia melhor ser ativo, claro, se eu voltasse a fazer sexo com outro homem praticaria o sexo que fosse menos dolorido e mais prazeroso, ou seja, eu seria ativo. Dentro de mim me dizia que não tinha que ser assim. Eu não era mulher. Entre meu pai e minha mãe eu via que havia um desnível, alguém mandava e alguém cedia. Mas eu não queria ter esse tipo de coisa acontecendo quando eu estivesse na cama com outro homem. Fiquei bem confuso e ferido, não com um ser humano específico, mas com a vida, com a existência. Eu teria que viver minha vida de homossexual com os mesmos mecanismos que eu via nos heterossexuais?



Vintage #26
Antiga 26









Vintage #27
Antiga 27









Vintage #28
Antiga 28









Vintage #29
Antiga 29









Vintage #30
Antiga 30



Acredito que na vida sexual como no resto da nossa vida a gente vai assumindo escolhas e vai, talvez por cômoda inércia, acreditando que são as escolhas se não forem as boas foram as possíveis. O que nos faz suportar tudo é acreditar que há esperança, um dia a gente vai conseguir realizar o idealizado. Vai aparecer o homem certo. Vamos encontrar a felicidade. O amor que não tem coragem de dizer o seu nome pode salvar-nos. Salvação que muitos esperan na religião, que um messias salvador nos expurgue de todo mal e nos leve ao paraíso, também há um jesus particular no nosso mundo homossexual. Vai aparecer um homem que nos trará tudo que precisamos e merecemos e aí seremos transformados em algo melhor. Infelizmente não é bem assim, messias são difíceis de vir e quando vem se vão rapidinho.



Vintage #31
Antiga 31









Vintage #32
Antiga 32









Vintage #33
Antiga 33









Vintage #34
Antiga 34









Vintage #35
Antiga 35



A vida é bela, ainda bem. Vai-se aos tombos, se levanta e sacode a poeira e dá volta por cima. Até porque nós homossexuais fomos desrespeitados por milênios. Somente a partir da segunda metade do século vinte é que, notadamente no Ocidente, nós homossexuais conseguimos deixar de ser doentes segundo a literatura médica e na vida civil conquistamos alguns direitos. Para mim o que mais urge é que nós homossexuais. e os homens bissexuais, paremos de nos desconhecermos. Deixe-me explicar. Há uma máxima grega que diz Conhece-te a ti mesmo e infelizmente por sermos nós homossexuais uma minoria num mundo cheio de heterossexuais, nós vivemos dentro da máxima Desconhece-te a ti mesmo. Prova disso é a quantidade de homens que gostam de homens que ainda estão casando com mulheres e outra quantidade de homens que gostam de homens que ficam no armário.



Vintage #36
Antiga 36









Vintage #37
Antiga 37









Vintage #38
Antiga 38









Vintage #39
Antiga 39









Vintage #40
Antiga 40



Conversei outro dia num chat com um homem que foi casado 40 anos. Há quatro anos atrás ele se divorciou e passados uns meses depois que já estava morando sozinho ele teve sua primeira relação sexual com outro homem. Ele me disse no chat que se soubesse que era tão bom jamais teria se casado e que a única coisa boa do seu casamento foi o seu filho. E ele teve apenas três relações sexuais, sendo ativo, e está muito feliz consigo mesmo.Eu perguntei a ele porque você não teve essa relação sexual com outro homem antes? Ele não soube me responder no começo, acabou dizendo que ele achava que a vida dele estava certa como marido e pai e que o sentimento que ele sentia por homens era algo que só lhe prejudicaria. Agora ele sabe que o que ele tinha de mais importante, seu tempo, foi dedicado a uma mulher sendo que no fundo do seu íntimo ele queria mesmo era ter dedicado a um homem. E nem foi ele mesmo que realmente fez a escolha digamos errada. Ele deixou seus pais, seus irmãos, seu patrão, seus vizinhos de rua, dizerem como ele devia viver a vida dele. Ou será que simplesmente ele deixou que o medo direcionasse sua vida?



Vintage #41
Antiga 41









Vintage #42
Antiga 42









Vintage #43
Antiga 43









Vintage #44
Antiga 44









Vintage #45
Antiga 45



Quanto a esse amigo do chat não nos cabe diagnosticar nada. Nem ele nem tantos homens que gostam de homens e que vivem vidas mal resolvidas. Eu tenho tido encontros com vários homens casados em chats e que algumas vezes resultam em ida ao motel. Gostam de fazer sexo com homens mas de maneira alguma abandonariam o seu casamento. A clandestinidade de um sexo eventual com outro homem é só um evento passageiro. Sem crise existencial. Sabe meu querido visitante: concordo plenamente. Lembra quando comentei sobre assumir papel de ativo ou de passivo? Pois bem. O homem não tem que escolher entre ser heterossexual ou homossexual. Se ele tem vontade de fazer sexo com outro homem, independe de ele ser heterossexual ou homossexual, trata-se alenas de um ser humano querendo praticar sexo. Deixemos que ele tenha a liberdade de fazer sexo com quem queira (evidentemente considerando aspectos da legislação (-- menores de 14 anos não!!! ---) e aspectos morais (-- evitar expor sua mulher ao vexame dela descobrir que foi traída e o amante é um homem --).



Vintage #46
Antiga 46









Vintage #47
Antiga 47









Vintage #48
Antiga 48









Vintage #49
Antiga 49









Vintage #50
Antiga 50



Finalmente quero dizer que por milhares de anos um homem fazer sexo com outro homem foi tabu e crime. E vivemos agora, quero dizer, nos países Ocidentais e alguns em outras partes do mundo, um momento que nós homossexuais podemos ser felizes sendo como somos. Eu quero finalizar agradecendo aos milhões de homossexuais, e bissexuais, que viverem neste planeta Terra antes de nós. Foram martirizados. Desrespeitados. Vocês homossexuais do passado viveram numa época hostil e onde quer que vocês estejam agora eu quero agradecer do fundo da minha alma por vocês terem existido e vivido sua homossexualidade. E descansem em paz. Em 1888 no Brasil houve a lei de libertação dos escravos negros e recentemente o governo brasileiro criou mecanismos de ações sociais, tal como é a cota para ingresso de negros em universidades, a fim de tentar reparar as injustiças feitas aos negros, isso depois de 100 anos do fim da escravidão. Quem sabe daqui a 100 anos haverá medidas de reparação das injustiças infringidas aos homossexuais do Brasil?



Não li isso
Eu não li isso



4 MILHÕES DE VISITAS
Obrigado por visitar BEAGA24!





Um comentário:

  1. Interessantissimo suas colações. Parabéns pelo blog que alia cultura e belas fotos

    ResponderExcluir