sábado, 31 de outubro de 2015

Boca de veludo


BOCA DE VELUDO



Oral #1
Oral 1







Oral #2
Oral 2








Oral #3
Oral 3








Oral #4
Oral 4








Oral #5
Oral 5






Entro na página do site de relacionamento gay DISPONÍVEL e há mensagens para mim. Uma das mensagens é de um perfil que ou preservar o seu anonimato, porém, vamos dizer que é do Boca de Veludo, e está me pedindo um encontro. Depois de dar uma olhada no perfil dele eu resolvo aceitar, esclarecendo que embora eu seja versátil, eu quero tão somente comer cú, não quero dar o meu cú. Afinal no domingo de manhã nos encontramos no centro da cidade e ele resolveu que faríamos sexo numa sauna que eu já tinha ouvido falar, mas não tinha visitado, na Rua São Paulo em frente ao Shopping Cidade. Entramos na sauna e nos despimos e guardamos nossos pertences e ele me disse que a parte da sauna que ficaríamos seria o segundo andar, o andar de preferência para quem quer fazer sexo.









Oral #6
Oral 6








Oral #7
Oral 7








Oral #8
Oral 8








Oral #9
Oral 9








Oral #10
Oral 10






Eu não estava gostando da sauna e quando ele já falou para irmos para dentro da sauna à vapor para começar o sexo eu não deixei que a má impressão sobre a sauna me incomodasse, eu queria fazer sexo e não ficar usufruindo do estabelecimento. Eu subi para o banco mais do alto e ele ficou no de baixo, afastei a toalha, abri as pernas e expus meu pau para ele mamar, e prontamente ele começou um sexo oral. Para minha surpresa ele interrompeu nem passados alguns minutos e partiu para chupar o pau de um outro homem que estava pelado com pau duro ao lado. Eu me aborreci porque não queria que a boca dele recém saída de um pau de outro homem viesse tocar meu pau e fiz ele virar a bunda na minha direção, ele continuando a mamar o outro cara, para que eu desse um tratamento na bunda dele. Ele posicionou corretamente e eu comecei a chupar, lamber, empurrar a minha língua no cú dele, com intenção de posteriormente meter meu pau no cú dele.









Oral #11
Oral 11








Oral #12
Oral 12








Oral #13
Oral 13








Oral #14
Oral 14








Oral #15
Oral 15






Por estar num ambiente que eu desconhecia e por conhecer pouco o Boca de Veludo eu não conseguia ter um pau duro bem duro, ficava meia bomba e acho que isso de alguma forma, ou foi 100% por isso, o Boca de Veludo se afastou de mim e meu propósito de meter nele dentro da sauna à vapor foi pro espaço sideral já que ele ficou envolvido com o cara que falei e depois um grupo se formou ao redor deles e uma orgia começou. Eu desisti de fazer sexo com ele e um homem que estava sentado na parte de baixo do banco sorriu para mim e eu retribui o sorriso e ele se aproximou e ficou sentado mas virado na minha direção e me perguntou se eu deixava ele me chupar, eu disse deixo. E falei para ele que eu não estava me sentindo confortável nessa sauna e ele disse que ele também não, mas mesmo meu pau sem estar duro ele queria me chupar. A verdade é que eu queria é ir embora, para não perder a viagem eu pensei que pelo menos ter o pau chupado já era algum ganho e aí começou o boquete e meu pau foi ficando duro, bem duro, na boca dele. Depois de mamar o quanto quis ele me perguntou se eu queria comer o cú dele.









Oral #16
Oral 16








Oral #17
Oral 17








Oral #18
Oral 18








Oral #19
Oral 19








Oral #20
Oral 20






Acabei entrando com ele num local sem nada, não havia nada, nem mesas, nem cadeiras, nem camas, nada, e ele me apontou ficar no fundo desse recinto e eu encostei na parede, abaixei a toalha só prendendo ela nas minhas nádegas para não cair ao chão e ele ajoelhou e começou a chupar meu pau, de início já duro e foi ficando mais duro à medida que ele me chupava. Deixei ele apreciar meu pau o quanto quisesse e fiquei com muita vontade de fuder ele, pelo que abri a minha mão e mostrei para ele o preservativo (condom) que eu tinha trazido e ele entendeu que era o momento dele levar dar o cú. Iniciou-se uma longa sessão de foda e de vez em quando entrava um cliente da sauna e observava eu fudendo, tinha um ou outro que chegava bem perto para admirar o escorregamento da vara cú adentro. Eu por brincadeira perguntava a quem chegava para ver eu metendo se eu estava fazendo direito e ouvi a resposta que eu estava dando um show, ganhava o Oscar fácil fácil pela atuação. Um desses "visitantes" me perguntou se eu tinha gozado e eu respondi que não, que não ia gozar, eu estava com muita vontade de meter e não pensava em gozar, e ele para minha surpresa me disse, baixinho, próximo da minha orelha, eu quero dar pra você e quero que goze comigo.









Oral #21
Oral 21








Oral #22
Oral 22








Oral #23
Oral 23








Oral #24
Oral 24








Oral #25
Oral 25






Fiz uma avaliação sumária de que a foda devia ser interrompida e eu devia é ir transar com aquele cara que me havia sussurrado no meu ouvido que queria dar pra mim e eu tirei meu pau de dentro do cú e disse que ia embora, não foi legal isso, mas o pau é meu e eu faço o que quiser com ele. Simplesmente me enrolei na toalha e saí do recinto e na sala anterior é onde tinha televisão e cadeiras de espreguiçar tipo chaise longue e mesas e eu pretendia me sentar numa delas e esperar a volta daquele cara que tinha sussurado por foda no meu ouvido. Nem esperei muito e ele voltou e eu disse que ia fazer a vontade dele porque eu tinha gostado dele, ele era magro, alto, bonito e principalmente mostrou vontade de dar o cú e externalizou isso bravamente interrompendo corajosamente eu comer o cú de um outro em fazer de eu comer o cú dele. Ficamos conversando e eu acabei me certificando que valia sim muito eu fazer sexo com ele, todavia ele me disse que não ia fazer sexo comigo nesta sauna, mas sim que me levaria para comer ele na cama dele na casa dele. Fiquei bem entusiasmado com a oportunidade de comer dois cús numa mesma tarde de domingo e disse que iria até a casa dele, ele me levaria até lá de motocicleta.









Oral #26
Oral 26








Oral #27
Oral 27








Oral #28
Oral 28








Oral #29
Oral 29








Oral #30
Oral 30






Ao saber que eu faria sexo com um homem que valia a pena eu fazer sexo e além do mais ele era motociclista eu fiquei de certa forma feliz com a vida, deixa eu te explicar. Eu estou tentando obter a carteira de habilitação para moto e não consigo, acabo sendo reprovado no Departamento de Trânsito - DETRAN, o que me deixa arrasado porque detesto me sentir perdedor. Ao saber que o cara, vamos inventar que o nome dele é Elton, tinha motocicleta e que me levaria para dar uma volta, eu fiquei achando que legal, estou fazendo sexo e quem sabe amizade com um cara que vai me ensinar, por pouco que seja, até mesmo involuntariamente, umas dicas de como pilotar moto. Elton só tinha um capacete na sua moto que estava estacionada no Shopping Center Cidade e foi lá pegar e antes de ir me disse, vou em casa, não muito longe daqui, pegar um capacete para você, e te pego alí na portaria do Shopping, dentro de uns 10 minutos. Fiquei naquela de pensar ele vai embora e não volta mas ele me pareceu sincero e não faria uma sacanagem dessas comigo, resolvi esperar, e não deu outra, ele apareceu, me entregou o capacete que eu devia usar, subi na moto e me falou para apertar minhas pernas na cintura dele, bem forte, e por as minhas mãos na cintura dele para que eu tivesse apoio. ligou a moto e nós dois, já era umas 20 horas, fomos para a casa dele, ou melhor, o apartamento dele.









Oral #31
Oral 31








Oral #32
Oral 32








Oral #33
Oral 33








Oral #34
Oral 34








Oral #35
Oral 35






Durante o percurso eu fui perguntando qual marcha ele tinha colocado, como ele fazia para por a moto em movimento no sinal de trânsito porque achei diferente, realmente, ele não mudava a marcha, apenas freiava, e eu tinha aprendido a sempre por em neutro, enfim, fui tirando umas dúvidas sobre pilotagem e ele, educadamente, ia me dando umas lições. Essa atitude positiva dele me deixou com minha libido liberada, sem repressões, e fiquei na expectativa de chegar logo no apartamento dele e a gente começar a fazer sexo. Chegamos no prédio e ele me disse para deixar os capacetes na moto que não tinha problema e assim fizemos e subimos, um prédio de três andares, por isso sem elevador, e mesmo nas escadas não paramos de conversar, eu me sentia bem com ele, porque cara que não conversa ou é ruim de conversar não gosto muito. Sexo só precisa de pau e cú e outras partes corporais mas isto pra mim não é tudo, eu tenho necessidade de sentir algo da personalidade do meu parceiro, e neste caso, ele estava sendo sincero e transparente, pelo que meu tesão ficou exponencializado. Tão logo pusemos os pés no apartamento fomos tirando a roupa e dando sarros, beijos, até cairmos pelados na cama e eu cobrei dele o que ele tinha falado antes na moto comigo, que ele gostava de chupar pau, que ficava até por uma hora inteira chupando.









Oral #36
Oral 36








Oral #37
Oral 37








Oral #38
Oral 38








Oral #39
Oral 39








Oral #40
Oral 40






Não é que eu não goze, nada disso, mas nesse domingo eu estava com muita vontade de comer cú e estava totalmente sem vontade de gozar, o Elton me chupava muito bem, em um outro dia talvez a chupada dele teria me feito gozar, mas neste momento eu não tinha nenhuma vontade de gozar, nem quando enfiasse meu pau no cú dele eu teria vontade de gozar. Eu sou assim, às vezes depois de varias posições eu já chego naquele ponto de vontade de ejacular que não se consegue evitar, mas nesse domingo, diferentemente, eu ficaria, se pudesse, trepando indefinidamente e não gozaria. Eu até tinha me estranhado na sauna que meu pau ficava apenas meia bomba e achei que embora eu estivesse com muito tesão o meu pau não ficaria duro mas me enganei, agora meu pau estava duro e não parecia que iria ficar mole tão cedo. O Elton me chupou enquanto eu estava encostado no parapeito da cama e então eu disse para ele mudar de posição, ele deveria ficar de barriga para cima e colocar a cabeça na beirada da cama e eu ficaria de pé no chão e enfiaria meu pau na boca dele, eu queria que ele fizesse um garganta profunda. Meti meu cacete na boca dele o quanto quis e várias vezes atolei meu pau garganta abaixo, algumas vezes eu mantive parado meu pau na garganta dele e me dava certo prazer ver ele chegar naquele ponto de sufocamento, implorando para eu tirar o pau fora e ele poder respirar melhor.









Oral #41
Oral 41








Oral #42
Oral 42








Oral #43
Oral 43








Oral #44
Oral 44








Oral #45
Oral 45






Eu tive orientações médicas para usar preservativo no sexo oral mas eu acho muito sem graça eu colocar preservativo e o cara chupar meu pau assim, não é o certo, tem certo risco e perigo, mas eu como cú usando camisinha no meu pau mas quando fazem sexo oral no meu pau eu não uso, acho mais prazeroso sentir o contato da boca no meu pau. O Elton depois de chupar meu pau me ofereceu de bebida um chá verde que vem em latinha, e um Red Bull, e também fez um sanduíche para mim, vegetariano, porque eu não como carne. Depois desse intervalo voltamos para a cama para nova sessão de sexo, desta vez eu havia dito a ele que tinha chegado a hora dele dar a bunda, ele me disse pra fazer devagar e calmamente, eu disse que sim, mas interiormente eu sabia que não dava para ser gentil porque eu estava muito doido para meter. Eu coloquei ele de conchinha, ou seja, a bunda dele ficou de lado e meu pau foi tocando o botão rosa dele e fui empurrando devagar, ele reclamou um pouco e disse devagar amor mas eu sabia que se queria comer um cú não tem como não doer na primeira vez, ele, claro, também sabia disso, então toda essa cena é meio teatro que eu e ele sabemos, e você também, faz parte. Meu pau passou pela entrada e a cabeça do meu pau já estava lá dentro, ele virou a cabeça e nos beijamos, aproveitei esse momento para enfiar mais um pouco do meu pau dentro dele, ele gemeu, mas foi aceitando bem cada centímetro de pica dentro do seu cuzinho apertado.









Oral #46
Oral 46








Oral #47
Oral 47








Oral #48
Oral 48








Oral #49
Oral 49








Oral #50
Oral 50






Depois eu coloquei ele em várias posições, as que eu lembrei, e olha que eu faço esse blog e conheço muitas posições, fui lembrando e fazendo, até que ele me disse que sentia que seu cú estava ardendo muito e que não estava mais conseguindo dar para mim. O Elton não aguentava mais dar o cú e eu ainda queria comer ele mas não iria fazer isso sem que ele quisesse e fiquei meio chateado e ele percebeu e me fez um convite, me disse você quer gozar na minha boca? Eu falei para ele que não estava a fim de gozar mas com um convite desses eu não poderia deixar de atender, mas antes de fazer eu falei para ele que eu fiz recentemente teste de doenças transmissíveis e de HIV-AIDS e que eu estava bem, não havia risco, ele podia beber meu leite tranquilo. Fiquei deitado encostado na beirada da cama, uns travesseiros me apoiando e ele se deitou ao meu lado e começou a bater punheta em mim, eu expliquei a ele que velocidade e que pressão da mão eu gostava mais, ele aprendeu e fez, e depois de um tempo, eu gozei na boca dele e ele bebeu minha porra com gosto, não desperdiçou nada e depois de engolir ele me beijou. Depois nos levantamos e tomamos banho e saímos do apartamento, ele ligou a motoclicleta e nõs dois fomos para o centro da cidade, me deixou perto do meu ponto de ônibus e ele disse antes de partir que queria me ver novamente.