domingo, 12 de outubro de 2014

FTM: fêmea transformada em macho

FTM:  FEMEA
TRANSFORMADA EM MACHO



A readequação de um FTM requer que seja feita uma cirurgia de reconstrução da genitália, o que significa que deverão ser feitas várias intervenções do escopo da Metoidioplastia aplicável aquela pessoa que vem do gênero feminino e que deseja se encaixar no aspecto do gênero masculino. A Metoidioplastia não faz uma intervenção tão radical como acontece com a cirurgia de faloplastia.
Lembrando que Faloplastia é uma cirurgia feita em homens para aumento peniano e o objetivo é aumentar as dimensões do pênis tanto em comprimento como em diâmetro e tecnicamente só pode ser feita em pessoas do gênero masculino. Para os transsexuais faz-se Metoidioplastia.
A Metoidioplastia consiste no aumento do clitóris a fim de ser criado um pequeno pênis. Faz parte ainda da Metoidioplastia aumentar o comprimento da uretra até que ela alcance o orifício centralizado no clitóris. Também faz-se o implante de testículos, evidentemente uma prótese de material sintético, dentro do escroto criado a partir da extensão dos grandes lábios.
O clítoris e o pênis são órgãos que têm desenvolvimento semelhante e em um certo momento da gestação especializam-se e forma-se com a característica do gênero do indivíduo, tornando-se, portanto, no homem em pênis e na mulher em clitóris. A Metoidioplastia aproveita desse fato da natureza para tornar um clitóris em pênis. Na foto abaixo está sendo apresentado esse procedimento da Metoidioplastia no que se refere a criação do escroto e ao implante de testículos.

Fase da Metoidiplastia na qual trabalha-se o escroto

O clítoris é solto de sua posição original e movido à frente para uma posição que lembra mais a de um pênis. É feito um tratamento hormonal anterior ao momento da cirurgia, peno menos durante 1 ano, e o clitóris cresce com o tempo até atingir um tamanho médio de 4-5 cm. Não se deve esquecer de dizer que os órgãos internos da genitália feminina são retirados, a chamada operação de Histerectomia, na qual a operação cirúrgica extrai o útero, ovário e trompas uma vez que esses órgãos não iram ser necessários na adequação sexual de mulher para homem.

Note que esse FTM tem características masculinas parciais, quero dizer, provavelmente passou por tratamento hormonal mas não por cirurgias.


No caso de um transsexual feminino que não quer sofrer completa transformação para o gênero masculino a preferência é de acentuar algumas características masculinas, como músculos e pelos.


Com o tratamento hormonal já se consegue adquirir traços masculinos e também conseguir um significativo aumento do tamanho do clitóris fazendo aproximar-se da aparência de um pequeno pênis.


A cirurgia de adequação do corpo feminino para o masculino não é comum, pelo menos no Brasil. Geralmente a pessoa recorre a manter os cabelos com um corte curto e vestir-se com roupas masculinas e adota um jeito masculinizado de falar e de andar, tudo parte de sua desejada identidade masculina.
Pode acontecer de com o uso de hormônios acentuar a sua aparência mas uma vez que não seja feita a operação de retirada da genitália interna feminina, é bem provável que ainda, mesmo com tratamento hormonal, continue menstruando. Para aprimorar a sua identidade masculina pode ser feita a operação de retirada dos seios já que os seis seios salientes que nem as camisetas mais largas conseguem esconder é uma parte do corpo que desafia e agride a essa nova identidade masculina, que, aliás, é a sua real identidade.

Você pode ver a cicatriz advinda da operação de retirada de seios?

O Conselho Federal de Medicina reconhece o procedimento cirúrgico de mudança de sexo desde 1997 e as operações deste tipo passaram a ser realizadas no Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil. Porém a maioria das adequações anatômicas feitas em hospitais públicos foram realizadas em pessoas que nasceram homens e sentiam-se mulheres e a quantidade de mulheres a serem transformadas em homens é muito pequena, uma raridade.
E os FTM que chegam às salas de cirurgia devem ter mais de 21 anos e passar por, ao menos, 2 anos de acompanhamento médico multidisciplinar.
Embora para alguns FTMs bastaria a retirada das mamas e do útero o SUS nega-se a realizar procedimento parcial, não levando em conta, portanto, a unanimidade dos desejos dos transexuais femininos, que é de retirada de alguns órgãos e preservação de outros. No Brasil isso não é possível.
A técnica utilizada no Brasil para a adequação é a de tratamento hormonal, doses controladas de testosterona, para fazer o clitóris aumentar de tamanho, espessura e diâmetro. E cirurgias para retirada de todos os órgãos internos da genitália feminina e quanto ao que fica aparente é feita uma incisão na região púbica para o descolamento do clitóris desta parte do osso pubiano.
Continuando o procedimento cirúrgico é criado um pequeno pênis aproveitando tecidos abdominais ou da coxa ou do antebraço, que depois são implantados na região sexual. Para tornar o novo pênis rígido é colocado uma prótese de silicone porque o pênis não fica em estado ereto, o novo homem nunca não terá ereção, mas terá um pênis com sensibilidade, por causa dos tecidos nervosos, e será capaz de penetração.
O resultado final é o de um novo homem, não um homem com um pênis de dimensões tais como aquele de um homem nascido homem, contudo passará a viver como homem, aparentando ser homem e tendo o prazer sexual masculino. O importante, o mais importante é que o trauma de ter uma identidade no cérebro que não corresponde a sua identidade física será coisa do passado.
A melhora da autoestima e de um papel masculino completo na sociedade é o maior trunfo até porque a Justiça assegura a posse de um novo documento de identidade oficial com nome e indicação de gênero masculino no documento. Somente na exposição de sua identidade será notado que houve uma adequação de gênero, e como parceiro sexual com certeza estará em condições de dar e receber muito prazer.

A relação sexual do FTM é prazerosa já que o novo pênis tem sensibilidade, mesmo não sendo capaz de ejacular, pode sim fazer chegar ao orgasmo. .

Como na maioria dos casos de transsexualidade o parceiro sexual desejado é o do sexo oposto, de modo que o FTM assume a identidade masculina e tem desejo sexual por mulheres.


O FTM aprimora suas características masculinas inclusive objetivando ser mais eficiente na sedução de uma mulher para ser seu parceiro sexual, e como não são homossexuais, os gays masculinos não são objeto de sua sedução.


Todo ser humano tem direito à felicidade e se para atingir esse objetivo for necessária uma adequação cirúrgica e psicológica, uma sociedade civilizada deve dar meios de que ele consiga orientação e tratamento, se isso for de seu desejo e de sua conveniência.


A liberdade de cada um tem limites, a sua liberdade termina onde começa a liberdade do outro, assim sendo, a partir do momento que você invade a vida de outra pessoa, você está comprometendo e prejudicando a sua própria liberdade. Deixe o outro cuidar da vida dele, tome conta da sua vida, ninguém te arregimentou para dar leis na vida alheia. Se a pessoa é FTM, deixe ele ser o que é!!!


Não fique preocupado com o que a pessoa aparenta afinal "o importante é invisível aos olhos". Quando você rotula alguém você está perdendo muito das qualidades daquele ser humano, deixando de ver tantas outras excelentes características que a pessoa tem, prontas para oferecer ao mundo, mas talvez você ache que a vida é simples, mas não é, a vida é complexa e multifacetada.


Aprenda a amar ao próximo como você ama a si mesmo, e tudo ficará bem. Se o homem é gay ativo, ok! Se o homem é gay passivo, ok! Se o homem é bissexual, ok! Se o homem é FTM, ok! "Quem realmente quiser conhecer algo novo (seja uma pessoa, um evento ou um livro), fará bem em receber essa novidade com todo o amor possível, e rapidamente desviar os olhos e mesmo esquecer tudo o que nela pareça hostil, desagradável, falso: de modo a dar ao autor de um livro, por exemplo, uma boa vantagem inicial, e, como se estivesse numa corrida, desejar ardentemente que ele atinja sua meta. Pois assim penetramos até o coração, até o centro motor da coisa nova: o que significa justamente conhecê-la." (Friedrich Nietzsche)


Nenhum comentário:

Postar um comentário