O que você achou desta postagem?

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Eu quero arrumar um marido!

Eu quero arrumar
um marido!


Eu sou homossexual e eu gostaria de ter um compromisso sério com outro homem homossexual. Quem quiser me conhecer estou aberto ao diálogo no qual poderemos expor nossas expectativas e necessidades. Obrigado.


Enquanto eu estou querendo arrumar um homem para chamar de meu por este "wide wed world" eu tomei conhecimento que 4 casais gays vão se casar. São todos detentos da Penitenciária São Joaquim de Bicas 2, mais conhecida como Presídio de Bicas.


Em outras prisões já aconteceram casamentos gays, isto portanto não é novidade no sistema prisional brasileiro. Mas é a primeira vez em que uniões homoafetivas viram uniões estáveis num presídio de Minas Gerais.


O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil em Minas Gerais - OAB-MG em entrevista à mídia não deu muitos detalhes sobre como será a cerimônia que acontecerá em fevereiro, depois do Carnaval.


A Subsecretaria de Administração Prisional - SUAPI autorizou a realização da cerimônia de casamento coletivo no recinto do presídio. Há um consenso entre as autoridades de que "além de ser um direito deles, o casamento complementa a pessoa, faz o sujeito viver melhor e eleva sua autoestima".


O Presídio de Bicas fica distante 40 quilômetros de Belo Horizonte. No presídio há 531 detentos do sexo masculino, sendo que 37 deles são homossexuais (assumidos).


O Presídio de Bicas foi o primeiro complexo presidiário brasileiro a inaugurar, há quatro anos atrás, um espaço de detenção específico para o grupo LGBT. Este local ficou popularmente chamado de "gaysídio".


A edição no. 14 da Revista Viver, de 5 de junho de 2009 apresentou a matéria  "ISOLADOS" na qual questiona se esta área reservada no Presídio de Bicas é de proteção ou de segregação dos gays.



Essa prisão do terceiro sexo dentro do Presídio de Bicas faz parte do projeto de reestruturação do sistema prisional de Minas Gerais. Então foram reservadas 8 celas na Ala 1 (imagem abaixo mostra a Ala 1).



A determinação de isolar os gays afeminados e os travestis basicamente tinha o objetivo de protegê-los de agressão, de rejeição, promiscuidade e prostituição nas alas masculinas (heterossexuais). Também uma forma de evitar a contaminação e disseminação do HIV.


A citada matéria elenca as vantagens e desvantagens na manutenção dos gays isolados dos demais presos heterossexuais e... ...isolados dos demais presos homossexuais que não se assumem como tal, que não saem do armário. Isto é discutido nesta reportagem, gostaria que você a lesse e por isso, não vou copiar a matéria aqui.


Anteriormente neste presídio acontecia de um homossexual fazer 13 relações sexuais por dia, concordando ou não em tê-las. Com a criação de uma ala específica para gays deu-se um "stop" e os gays (também os heterossexuais) tiveram que repensar sua vida sexual.


O casamento gay coletivo que está para acontecer no Presídio de Bicas é, na minha opinião, uma consequência dessa releitura do comportamento sexual dos detentos gays. Descobriram que quantidade não é qualidade, será que estou enganado?


Eu fico admirado e agradecido por saber que gays que estão presos estão encontrando o amor, estão dando amor, estão recebendo amor. Do fundo meu coração desejo a estes 4 casais toda a felicidade do mundo. Um forte abraço!


Nenhum comentário:

Postar um comentário