O que você achou desta postagem?

domingo, 9 de setembro de 2012

Chupa meu pau

CHUPA MEU PAU


Hoje é domingo e daqui a pouco vou procurar um cara que queira ter a sua rola chupada. Surfar nestes sites de pornografia gay normalmente me leva a bater punheta porque eu fico muito excitado ao ver imagens e vídeos gays. Sinceramente evito sexo com caras na vida real porque as consequências são imprevisíveis. Há uma grande verdade em "quem vê cara não vê coração".


Acho que o sexo seguro mais seguro que tem é uma gostosa punheta vendo um vídeo de sacanagem gay na web. A gente não tem depois de gozar estabelecer uma rota de fuga rápida antes do cara pedir o número do telefone ou seu e-mail. E não tem o risco de no futuro se constranger ao esbarrar sem querer com o cara, cara que acha que de alguma forma deve-se alguma obrigação para com ele.


Assistir pornografia gay aciona um monte de sensações gostosas, idealizações de como deve ser um bom sexo. Infelizmente a vida real nunca é como essas idealizações, por isso acredito que o ato de entrar em sites de pornografia gay é tão comum para a maioria dos gays, e por que não, bissexuais. As sensações surgidas na Internet, geralmente, não tem os limites e imprevistos que tem uma transa na vida real. 


Mas porque a pornografia na Internet nos faz pensar que estamos tendo sexo, nos faz pensar que estamos fazendo sexo? É porque nosso cérebro entende que a pornografia que estamos vendo não é algo passando-se na tela do computador, mas sim algo que estamos participando. O nosso cérebro faz a leitura de que estamos realmente fazendo sexo. O modelo de sexo ideal que cada um tem faz com que a pornografia funcione, ou seja, que fiquemos excitados.


Contudo, as transas maravilhosas exibidas na pornografia gay, imagens e vídeos, são uma ficção. Nós certamente sabemos que são escolhidos os caras mais dotados e nos vídeos foram feitas tomadas em separado que depois juntadas nos fazem pensar que a transa se deu continuamente, que o cara ficou de pau duro metendo por um longo tempo e por ai vai. Parece que só depois de gozar a gente toma consciência desses detalhes.


O bom é que dá pra aprender alguma coisa coma pornografia gay da Internet, como por exemplo, como fazer um boquete. Se o boquete vai ser bem feito na vida real como é bem feito nos vídeos pornográficos, a resposta é não. Simplesmente porque nos vídeos tudo é mostrado na sua forma mais perfeita, mais glamourosa. A vida real não é páreo para a Internet... mas vale tentar a vida imitar a arte.


A primeira coisa a fazer quando se parte para fazer um boquete é entender que chupar uma rola não é só um tipo de contato físico, chupar uma pica é um ato de adoração! As roupas foram retiradas e foi descoberto um dos lugares mais bem guardados de um homem. Só a exposição da nudez já é um motivo para o reconhecimento e exaltação, acrescentando-se à nudez um bela ereção é justo e oportuno dar ao pinto a merecida reverência.


Então, ajoelhoe-se e chupe, lamba, engula, mame esse pau. Contudo, saiba que mesmo com todo esse poder de dominação o pau é muito vulnerável. Recolha os dentes, evite morder e friccionar exageradamente. Use sua boca gentil em alguns momentos, rudemente em outros, mas sempre gerando prazer de forma a ajudar o cara a manter a dureza do membro.


E não caia de boca como se o pau do cara fosse uma refeição, não vá parecer para o cara que você é um exterminador ou um predador. Comece o boquete lentamente, imagine que o pau do cara é um pirulito delicioso que você quer chupar e não quer que acabe nunca. Enfie cuidadosamente a ponta da sua língua no buraco da ponta do pau dele, lambuze de saliva a cabeça e o talo pra facilitar escorregar o pau na sua boca.


Embora boquete seja chupar pau você pode e deve dar um trato nas bolas, e, havendo situação favorável, dar um trato na região entre o saco e o cú do cara. Você pode chupar a rola e com uma mão acariciar as bolas dele, massageando gentilmente, as bolas são muito sensíveis à pressão. Você pode levar uma bola pra dentro da sua boca, se der, colocar as duas.


Considere, porém, que o prato principal é a rola dele, o saco é apenas um aperitivo. Depois de fazer uma acertada leitura da tolerância dele à intimidades, veja se é possível você fazer o boquete fazendo um fio-terra nele. Primeiramente apenas toque com a ponta do dedo o cú dele, depois, dependendo da reação dele, insira a ponta do dedo, depois insira até metade do dedo e faça redemoinho e vai e vém. Toque a próstata dele, devagarinho, docemente.


Um boquete que gera agradáveis sensações é como um cara lambendo um sorvete, nunca como um cara tomando um milkshake. Isto não significa que não se possa dar uma sugada na rola, o que não dá é o cara achar que tem um aspirador de pó na rola dele. Até vale dar uma sugada um tanto forte, apenas uma única vez, para dar uma judiada na pica do cara. Mas repetir "aspirador de pó" só vai piorar a ereção, além de deixar o cara desconfortável com você.


Boquete compreende também bater punheta no cara, enfim, intercale as mamadas com uma punheta nele. O melhor a fazer enquanto você bate uma punheta nele é ficar olhando a cara dele, com um olhar de agradecimento.É incrível como o olhar revela coisas, portanto, numa pausa do boquete aproveite para bater uma punheta nele. Enquanto punheta ele lance muitos olhares do tipo "você é o máximo" nele.


Uma dica é se você gostar de engolir porra é perguntar antes para o dono da porra se ele quer que você engula. Geralmente os caras adoram que sua porra não vá para o lixo, preferem muito que um cara engula. Porém, algum cara pode achar que quem engole porra é promíscuo e detonar, surtar, parando o boquete e indo embora. Tudo é uma questão de arranjo, de combinação, resolvido através da comunicação. Não deixe de arriscar a perguntar se você pode petiscar o néctar dele.


O pior que pode acontecer a um cara que quer um boquete é encontrar um cara que começa a fazer o boquete e para antes do cara ficar satisfeito, e algumas vezes satisfeito significa chegar à ejacular. Se o boquete começou deve-se ir até o fim, como foi dito, chegar a fazer o cara ejacular. Se não se quer mamar mais a rola, então parta para a fodeção.


Se for fazer boquete, vá até ao fim! Aliás, tem uma solução quando não se quer ou não se aguenta mais fazer boquete. que é oferecer para o cara o seu rabo. Para um cara cheio de tesão a única substituição saudável possível é meter num cú. Isto porque o prazer que dá comer um rabo é maior, substitui bem, ao prazer de ter a rola chupada. Então, se não quer continuar a fazer boquete no cara, prepare-se para dar a bunda.


Estou supondo que, por algum motivo, o cara só queria um boquete. Você assentiu em fazer mas não deu conta. Deixar ele ir embora cheio de tesão e sem ter gozado é covardia, ou melhor, ignorância sua. Deixe-o saber que você está querendo é levar na bunda. Incrível como essas palavras mágicas deixam o cara animado, esquecendo a pouco teve um incompetente chupando a rola dele.


Se o tempo não estiver à favor, ele com certeza ainda ficará pra você fazer ele gozar com uma punheta. Nunca tente dar desculpas porque você não continua a fazer boquete, como "estou com enjoo", "tenho um compromisso", já que não vai rolar compreensão da parte dele. Diga a verdade, não estou aguentando e quero parar o boquete em você, mas eu posso bater uma punheta ou dar o cú pra você. Saiba que honestidade é bem vida em todo lugar.


Talvez você esteja cansado ou desestimulado a fazer boquete no cara mas não quer parar. Você até quer parar mas vai ficar chato você parar. Partir para uma "garganta profunda" na rola dele pode ser a solução, vai surpreendê-lo, fasciná-lo, até mesmo enlouquecê-lo. É uma técnica de fazer ele gozar logo. Faça a garganta profunda como um louco mas sem agressividade. 


Se você tiver condições faça um boquete nele e grave num vídeo, mas atenção, com o conhecimento e o consentimento dele. É inacreditável como eleva o ego um cara, saber que a transa está sendo gravada. O cara saber que foi filmado um cara mamando a pica dele, deixa-o orgulhoso, envaidecido. Não finja que não vê a câmera, ao contrário, faça caras e bocas de "como é delicioso" como se ganhar o Oscar dependesse disso.


Pode até acontecer no primeiro boquete de sair tudo perfeito, mas boquete é uma experiência e como tal quanto mais vezes ser feita, melhor qualidade terá. Pode-se, assim, aprimorar como se faz um boquete. Aliás, um boquete tem que ser reaprendido, mesmo porque tem muitos tamanhos e grossuras de cacetes. Pau com curva pra esquerda, curva pra direita, pra cima, pra baixo. Pau cabeçudo, pau fino, pau com veias proeminentes, pau com muito prepúcio ou "cut". 


Não tenho a pretensão de dizer tudo sobre boquete, esse texto é só "an passant", agora vou fazer a chuca, tomar um banho, colocar minha jockstrap e etc e ir para a sauna. Espero que um cara diga pra mim chupa meu pau. Quero me ajoelhar e ordenhar uma rola mas se não acontecer nada, tudo bem. Sempre tem a Internet para quebrar o galho. Ontem foi meu o dia do meu aniversário, seria um ótimo presente, você concorda comigo?










2 comentários:

  1. Embora eu saiba muito sobre boquete e o sei fazer muito bem, li umas dicas que desconhecia, agradeço pelo texto explicativo e as imagens tortuosas.

    ResponderExcluir