terça-feira, 7 de agosto de 2012

Tomando Ciallis

TOMANDO  CIALLIS

O Cialis tem a mesma forma de agir do Viagra e do Levitra, ou seja, inibe a enzima 5-fosfodiesterase permitindo que o óxido nítrico presente no pênis provoque o relaxamento da musculatura peniana e consequentemente provoque a ereção. A principal diferença do Cialis com relação ao Viagra e Levitra é a duração do efeito.


Enquanto o Viagra tem efeito de aproximadamente 6 horas e o Levitra de 8, o efeito do Cialis pode chegar a 36 horas. Então o Ciallis é uma boa alternativa por causa de sua longa duração da ação. O Viagra precisa ser retomado depois de 24 horas e o Ciallis depois de 36 horas, este é o diferencial do produto.


O princípio ativo do Viagra é o Sildenafil e o Ciallis é feito de Tadalafil. Ciallis não deve ser tomado por homens que estejam usando medicamentos contendo nitratos tais como propatilnitrato (Sustrate), isossorbida (Monocordil, Cincordil, Isordil), nitroglicerina (Niradisc, Nitroderm TTS, Nitronal, Tridil) e dinitrato de isosorbitol (Isocord).


Ciallis pode ser tomado mas com cuidado por homens que apresentem um dos seguintes problemas de saúde: problemas cardíacos, tais como dor no peito (angina), insuficiência cardíaca, batimentos cardíacos irregulares ou que tenham tido ataque cardíaco; pressão baixa ou pressão alta não controlada; derrame; problemas de fígado; problemas com os rins ou que necessitem de diálise.


Estudos mercadológicos estimam que o Viagra e o Ciallis detém 75% do mercado mundial no setor de medicamento para impotência. A ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária coloca em décimo lugar os medicamentos para impotência na lista de medicamentos mais vendidos no Brasil.


O Cialis começa a funcionar cerca de 30 a 45 minutos depois de tomado. A ereção do pénis é baseada no aumento do fluxo sanguíneo no tecido eréctil, o que não pode acontecer até que as artérias se relaxem e se expandam. E, muito importante, se houver a continuidade do estímulo sexual (visual, tátil, gustativo, olfativo, auditivo, térmico).


Não existe ereção só por tomar Ciallis, é preciso que o homem esteja sexualmente estimulado. Medicamento para impotência, como o Ciallis, só funciona nos homens que se sentem sexualmente excitados. Com o estímulo sexual o Ciallis relaxa e aumenta o calibre dos vasos sanguíneos permitindo que o corpo cavernoso se encha de sangue. Consequentemente ocorre a ereção.


O Ciallis, assim como outros remédios para impotência, provoca alguns efeitos secundários, ainda mais por permanecer no organismo por tanto tempo (36 horas). Podem haver sintomas como rubor, tontura, dor de cabeça, dores musculares, perda de visão (neuropatia óptica), entre outros. O Ciallis tem a grande vantagem de não impedir que o homem ingira álcool.


Há um tipo de Ciallis de 5mg para ser tomado diariamente. Lançado em setembro de 2010 o "Ciallis Diário" é o único medicamento para a disfunção erétil de uso contínuo de modo que o homem podem manter relações a qualquer momento. Com o uso contínuo o sexo fica mais espontâneo.


Quando chega o momento de uma relação sexual o homem já está preparado porque vem tomando uma baixa dose por dia de Cialis Diário de 5mg e o tempo de ação do medicamento permitem ao homem manter relações sexuais no momento que quiser. A ereção, contudo, só acontece quando acontecer de o homem tem um estímulo sexual, e não há ereção o tempo todo.


Com o lançamento em 2010 do Ciallis Diário em cartela de 28 comprimidos garante a liderança do mercado de medicamentos para disfunção erétil. Quando foi lançado o Ciallis Diário custava R$230 (uns US$113 pelo cotação 1 Real = 0,493 dólar dos Estados Unidos da América). Hoje custa R$201 (uns US$99).


Mas o homem tem que tomar todo dia o Ciallis Diário, todo dia, no mesmo horário. Portanto, tem que ter disciplina para não esquecer de tomar. É importante tomar a dose todos os dias no mesmo horário. Em caso de esquecimento deve-se tomar o Ciallis Diário imediatamente e tomar o comprimido no mesmo (novo ) horário no dia seguinte.


O uso recreacional dos medicamentos para disfunção erétil está generalizado. Tanto assim que eu fui a um urologista e pedi a receita, esclarecendo-o que meu caso não era impotente, e o médico me deu. Fiquei sabendo que homens hipertensos tem 56% de chances de serem impotentes, além disso, 19% dos diabéticos, 13% dos que têm colesterol alto e 12% dos cardíacos.


Minha opinião é que a maioria dos homens, excetuando aqueles que (1) não acham que precisam tomar, (2) não podem tomar por restrições médicas e (3) são homens passivos e não precisam ficar de pênis ereto, pode probabilisticamente chegar um dia a ter uma disfunção erétil e passar por um significativo e desagradável sofrimento psicológico.


Está claro só de consultar a Internet e ver a quantidade de farmácias e afins que anunciam e até mesmo fazem delivery de medicamentos para impotência em resposta ao crescimento da demanda originada por disfunção erétil de causas psicológicas, causas estas que não os deixam ter ereções satisfatórias. Alguém é contra um homem querer potencializar a sua ereção?

Nenhum comentário:

Postar um comentário