O que você achou desta postagem?

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Coçando o saco

Se há um tipo de ação que é automática em um homem é o tal coçar o saco, quando percebe já coçou. Para as mulheres que estão perto a impressão de ver um homem coçando o saco é de desconforto e constrangimento; os homens, em geral, não ligam de ver outro homem coçando o saco.










Coçar o saco em público é sempre, em termos de etiqueta social, uma inconveniência, algo que deve ser evitado a todo custo. Quando um homem coça o saco perto de outra pessoa, ou pessoas, que pensamento gera em quem viu? Primeiramente que quem coçou não é uma pessoa educada e segundo (e que vem a ser o pensamento que perdura mais) é que o cara não tem higiene no saco.











Você já ouviu que toda regra tem excessão? Pois bem, no caso de nós gays, pelo menos para a maioria, um homem coçar o saco é visto como um sinal de masculinidade. De modo que a (possível) falta de educação e a (possível) falta de higiene são sumariamente perdoados. E para nós gays (a maioria) o deleite aumenta quando não se trata de coçada no saco, mas do cara estar arrumando o saco. Cena delícia de se ver!











Coçar o saco para arrumar as bolas para que elas fiquem mais confortavelmente posicionadas na cueca é uma possibilidade. Há outra. Quem vê o cara coçando o saco pode não ver o que realmente está acontecendo que é o cara tentando soltar os pentelhos que por algum motivo estão sendo puxados. Não sei se aconteceu com você, mas eu não sou circuncidado e, às vezes, algum pentelho mais comprido enrosca no prepúcio e dá uma repuxada.











Falando em pentelhos, sei que tem muitos gays que adoram um saco de macho peludão, parecendo uma moita. Em inglês os pentelhos fartos são chamados de "bush", que significa moita. Para evitar os pentelhos suarem e causarem coceira no saco, aparar com tesoura ou passar uma gilete depilando tudo são soluções possíveis. Não querendo adotar essas providências, recorrer a fazer uma higiene adequada nas bolas e usar cuecas mais frouxas a fim de assegurar ventilação no local.











Eu não sei porque a indústria de cuecas no Brasil tem por padrão produzir cueca sem espaço para acomodar as bolas, é como se as fábricas de cueca achassem que homem não tem saco. Minha sobrinha trouxe de Londres para mim uma cueca Calvin Klein com um espação para alojar o saco. As cuecas produzidas (em geral) no Brasil são lisas, retas, justas. Além de não ter uma concavidade para alojar e proteger o saco, são sem saliência para deixar o pau mais confortável, de modo que estas referidas cuecas deixa o pau espremido entre o tecido e o corpo.











Coçar o saco é mais provável de acontecer, tendo o cara inclinação para esse hábito, em caras que usam cuecas de tecido sintético, de modo que as cuecas de algodão tendem a provocar menos coceira no saco. Contudo, as cuecas sintéticas, embora tem uma possibilidade maior de causar coceira no saco do que as cuecas de algodão, porque não absorvem o suor tão bem como o algodão, por terem maior elasticidade, elas deixam o pau e o saco mais solto.










Como a calça é costurada, principalmente os jeans, deixa umas costuras salientes internamente bem na região do saco. Acaba forçando as bolas do saco a terem de escolher um lado pra ficar, geralmente, a maioria dos homens isto acontece, o saco é colocado do lado esquerdo, assim como é esta a posição mais comum de ficar o pinto. Quando por algum motivo, por exemplo, depois que o cara que estava sentado se levanta, as bolas ficam mal acomodadas e o cara então pode dar uma coçada e aliviada na sensação de saco espremido.











O que pode ser entendido como coçada no saco às vezes é tão somente o cara ajeitando o saco que está muito posicionado para trás, posição que é muito desconfortável e que incomoda demais um homem. Eu uso pijama pra dormir, sei que tem muitos homens que preferem durmir de cueca, no meu caso cueca me atrapalha a dormir. Então o que acontece é que pijama normalmente tem o short larguinho e acaba meu saco ficando "caído" no meio das pernas e eu o ajeito puxando pra frente. Caras que usam cuecas samba-canção debaixo da calça podem acontecer de fazer o mesmo.











Você consegue perceber que coçar o saco nem sempre é só coçar o saco? E que não é simplesmente uma questão de falta de educação mas uma necessidade natural? Fica claro, contudo, que seja qual for a razão para o cara coçar e arrumar o saco, a discrição é fundamental. Encarar a situação como um aviso é questão de bom senso, quero dizer com isso que coçar o saco poder ser sinal de haver chato no saco, ou micose ou outro problema de saúde.











Coçar o saco pode, enfim, ser um cacoete, uma mania, um hábito que se enraigou no cara, agora está fora de controle e não tem hora ou lugar que segure a vontade de dar uma cutucada nas bolas. Seja intencional ou não eu acho que quem vê um cara coçar o saco deve ter a civilidade de não criticar quem faz, seria uma falta de educação depois da falta de educação do cara ter coçado o saco. Bom humor é benvindo nessa hora, já que aconteceu então vá da atitude de "relaxa e goza" para o remendo da crítica não piorar a situação.











Dizer ao cara que coçou o saco que não liga, ou que liga sim, de ver tal cena só se houver certa liberdade pessoal entre quem faz o coçar saco e quem viu. Por exemplo, o colega de trabalho coçou o saco e quem viu não gostou, e falou que não gostou, pode provocar um mal-estar no ambiente de trabalho. Se for um bofe fica mais fácil, ou um amigo ou parente já que vai parecer ser uma crítica positiva dizer ao coçador de saco que fazer isso na frente das pessoas não é legal. É uma situação delicada, acho que igual quando um cara solta um pum. Numa relação custo-benefício é bom se perguntar: Será que vale a pena falar?


O estresse também é um fator que leva o cara a coçar o saco. Há um tipo de bolinhas pra ficar apertando na mão no formato de saco, talvez seja uma solução para controlar o hábito de certos caras de coçar o seu saco. O modelo "Squoosh" é feito no formato de saco, achei hilário o fabricante ter criado isso mas reconheço que trata-se de uma ótima ideia. Eu gostaria de ter um squoosh pra apertar mas em verdade eu preferiria ter um saco de homem, real, quentinho, cheirosinho, pra apertar. Apertar com carinho, fazer o cara gemer sem sentir dor. Abraços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário