quinta-feira, 17 de maio de 2012

Você tem experiência?

Num processo de seleção para certo emprego foi solicitado aos candidatos que fizessem uma redação respondendo a questão "Você tem experiência?" e vou apresentar uma destas redações, mas antes queria contar como é que achei o texto desta redação. No dia 27 de abril eu estava caminhando no mar, naquela região onde as ondas quebram-se na areia.




Meu celular estava enfiado na sunga e eu curtia a Praia do Forte, em Cabo Frio, ouvindo uma rádio. De repente o celular, até era de se esperar que isso acontecesse já que eu estava me movimentando muito pra resistir à força da batida das ondas, caiu na água. Eu puxei pelo fio do altofalante e quando peguei o celular estava todo molhado. Dei umas balançadas e enxuguei na sunga.






A música parou e eu desliguei e coloquei de novo na sunga, na região perto do piu-piu como estava antes. Continuei andando na parte da arrebentação e depois na areia, numa tarde de sol quente naquela paisagem linda, bem cuidada e enfim privilegiada do Oceano Atlântico. Quando voltei para Belo Horizonte levei na autorizada da Samsung e deram orçamento de conserto em 460 reais.




Eu não aceitei arrumar o celular e fiquei sem celular até ontem, dia 17 de maio. Na tarde de 17 de maio chegou meu novo Samsung S2 que comprei pela Internet, ma-ra-vi-lho-so! Começei a configurar e logo de início pediu o código do Wi-fi daqui de casa. Eu tenho um desktop e um laptop e o laptop pega o sinal da Internet a partir de um roteador D-Link, que tem um código pra evitar que os vizinhos peguem carona na minha Internet.




Eu não sabia o código, nem onde tinha guardado o manual da D-Link. Procurei pela casa toda, acabei achando um recorte de jornal com título "Você tem experiência", que estava solto no meio dos guardados no armário. Li um pedaço, concordei que era bom e pensei vou por no meu blog. E continuei a procurar o manual do roteador, enquanto isso meu smartphone ficava com a tela do box esperando ser preenchido pelo tal código.




Até que me lembrei, depois de muito tira e põe coisas no lugar no tal armário que o manual estava dentro da caixa da Dell, caixa essa onde veio o laptop. Fui pro quarto e abri o guarda-roupa, abri a caixa, abri o manual do roteador D-Link e achei o código de segurança do wi-fi. Digitei no smartphone e consegui usar a Internet no meu celular novo. Bom, tudo isso demorou muito, só fui dormir depois da meia-noite, só depois que configurei meu celular novo.





O que resultou foi que eu e meu namorado acordamos tarde na manhã seguinte, lá pelas 10 horas estávamos nós dois tomando café, ou melhor, ele tomando café e eu, como sempre, tomando minha vitamina. Ai me lembrei do texto "Você tem experiência?" e fui buscar no quarto, voltei e me sentei e enquanto ele tomava seu café da manhã, li o texto pra ele.





Quando eu terminei de ler, olhei pra ele pra perguntar se ele tinha gostado. Vi lágrimas descendo no rosto dele. Eu achei o texto bonito e tal mas nunca choraria por causa dele. Fiquei surpreso de ver ele chorando, ali na mesa, com a sua caneca de café na mão, me olhando com um olhar distante, triste, melancólico mesmo. Eu perguntei precisa chorar? e ele me disse é tao bonito e eu disse a ele que ia por no meu blog e ele me disse faz isso, vão gostar.




VOCÊ TEM EXPERIÊNCIA?

Já fiz cosquinha na minha irmã pra ela parar de chorar,
já me queimei brincando com vela.

Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto,
já conversei com o espelho,
e até já brinquei de ser bruxo.

Já quis ser astronauta, violonista, mágico, caçador e trapezista.

Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora.
Já passei trote por telefone.
Já tomei banho de chuva e acabei me viciando.

Já roubei beijo.
Já confundi sentimentos.

Peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido.

Já raspei o fundo da panela de arroz carreteiro,
já me cortei fazendo a barba apressado,
já chorei ouvindo música no ônibus

Já tentei esquecer algumas pessoas,
mas descobri que essas são as mais difíceis de se esquecer.

Já subi escondido no telhado pra tentar pegar estrelas,
já subi em árvore pra roubar fruta,
já caí da escada de bunda.

Já fiz juras eternas,
já escrevi no muro da escola,
já chorei sentado no chão do banheiro,
já fugi de casa pra sempre,
e voltei no outro instante.

Já corri pra não deixar alguém chorando,
já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo falta de uma só.

Já vi por-do-sol cor-de-rosa e alaranjado,
já me joguei na piscina sem vontade de voltar.

Já bebi uísque até sentir dormentes os meus lábios,
já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar.

Já senti medo do escuro,
já tremi de nervoso,
já quase morri de amor,
mas renasci novamente pra ver o sorriso de alguém especial.

Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar.

Já apostei em correr descalço na rua,
já gritei de felicidade,
já roubei rosas num enorme jardim.

Já me apaixonei e achei que era para sempre,
mas sempre era um "para sempre" pela metade.

Já deitei na grama de madrugada e vi a Lua virar Sol.

Já chorei por ver amigos partindo,
mas descobri que logo chegam novos,
e a vida é mesmo um ir e vir sem razão.

Foram tantas coisas feitas,
momentos fotografados pelas lentes da emoção,
guardados num baú,
chamado coração.

E agora um formulário me interroga,
me encosta na parede e grita:
"Qual sua experiência?".

Essa pergunta ecoa no meu cérebro:
experiência...
experiência... 

Será que ser "plantador de sorrisos" é uma boa experiência?
Não!
Talvez eles não saibam ainda colher sonhos!

Agora gostaria de indagar uma pequena coisa para quem formulou esta pergunta:

"Experiência?
Quem a tem, se a todo o momento tudo se renova?"
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário