terça-feira, 27 de março de 2012

O tamanho da camisinha

A camisinha no meio gay é utilizada basicamente para prevenir as doenças sexualmente transmissíveis - DSTs impedindo a troca de fluidos corporais de um parceiro para o outro.


Algumas das duas reclamações mais recorrentes contra o uso da camisinha é que ela interrompe o tesão no lapso de tempo em que a embalagem está sendo aberta e mais o tempo em que deve ser desenrolada no bilau. E o contato do material da camisinha com o pau, principalmente com a cabeça do pau, aperta e irrita.


A coisa pode ser contornada com o tempo, isto mesmo, dizem que o tempo cura tudo, inclusive "cura" as reclamações citadas acima. Com o hábito de usar camisinha logo nem se vai reparar na interrupção para a sua colocação nem que a camisinha está cobrindo o pau.


É recomendável que a cada penetração seja usada uma nova camisinha, isto significa se você é ou está com um cara que dá uma segunda (ou +?) foda, não repetir a mesma. E nunca usar duas camisinhas, uma sobre a outra, com a intenção de aumentar a prevenção.

video

A camisinha usada na masturbação resolve o problema da lambuzagem pra todo lado, afinal gozar dentro da camisinha evita a porra dispersar no corpo, na roupa, no ambiente. E ainda evita que tenha que se limpar tudo isso depois e ter que deixar os vestígios dos papéis sujos na lixeira.

video

Já vi cara bater uma bronha num vídeo, ele estava deitado na cama e depois de fazer bastante 5 contra 1 ele começou a gozar. Ele gozou e a porra foi lançada direto no peito ou na barriga dele, e a porra saia do pinto numa trajetória quase que reta.

video

E noutro vídeo o cara ejaculava e a porra acertava seu corpo e uma parte acertava a cama. E vi também um cara que esguichava a porra, a porra saia como de um chuveiro e espalhava sem saber pra onde vai ha ha ha.


Então cada homem ejacula de um jeito, e se usar a camisinha pra bater uma punheta vai evitar a melação no corpo e na casa e o cheiro que fica no ar. Se for mais safado pode até aproveitar a porra da camisinha e tomar o leitinho quente tirado na hora.



Não recomendo fazer isso com o leite dos outros. Tenho um cara que gosto de conversar e tomar umas cervejas, ele é soropositivo (tem o HIV) e ele me disse que não toma mais leitinho dos machos porque se o cara também é HIV+ pode receber uma nova mutação do vírus e ele pode ficar com a carga viral alterada, aumentada.

video

Quanto ao tamanho da camisinha não sei o porquê no Brasil geralmente as opções são de cores e sabores, de lubrificação e espermicida, mas de tamanho mesmo não tem opção, uma vez que se você ler a embalagem vai notar que quase sempre a largura nominal é de 52mm.

JONTEX XL
largura nominal de 55mm
OLLA Large
largura nominal de 55mm


PRUDENCE Extra Grande
largura nominal de 56mm


O comprimento é padrão mas há uma marca que inovou oferecendo o maior comprimento de camisinha oferecido no mercado brasileiro.

comprimento de 197mm

A camisinha hoje em dia é algo que se trás na carteira ou no bolso da calça. Porém, deve-se trocar a camisinha depois dela passear por ai com você, porque o atrito e a pressão causam estragos, você acha que não mas foicomprovado que a camisinha guardada na carteira ou bolso com o tempo estraga, ok?


Seria bom que fossem oferecidas no comércio mais opções de camisinhas e até mesmo camisinhas especialmente destinadas ao público gay, ou seja, camisinhas que aguentem um bom sexo anal e oral. Para saber sobre as informações que devem constar na embalagem da camisinha vendida no Brasil veja esse artigo do INMETRO.

video

Visando a segurança do consumidor, os preservativos nacionais e importados são certificados após a aprovação do produto em diversos ensaios realizados pelo Inmetro e seguir os requisitos estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA.

video

Em 5 de setembro de 2008 a ANVISA baixou uma resolução estabelecendo os requisitos mínimos para fabricação de preservativos masculinos de látex de borracha natural. Já em um passo importante, mas falta equiparar às normas europeias sobre camisinha, como a EN600 que estabelece, por exemplo, uma variedade de tamanhos, como você vê na figura abaixo.


Com o controle normativo da fabricação e venda o Governo procura impedir que preservativos importados fora dos padrões não entrem e nem sejam comercializados no Brasil. Ótimo, não é? Uma providência que traz pra nós qualidade e segurança!

Nenhum comentário:

Postar um comentário