O que você achou desta postagem?

terça-feira, 20 de março de 2012

Ângulo da ereção - Parte 1

A ereção é a fase de engrossamento e retesamento do pênis devido a provocação de um estímulo sexual. Lembrando que também pode ocorrer a ereção em situações em que não há um estímulo sexual agindo. Fisicamente não pode haver ereção se não houver o enchimento de sangue nas artérias existentes no pênis.











Quando o sangue flui para dentro do pênis vai enchendo um tecido que é esponjoso e desta forma altera o comprimento e a grossura. Acontece que quando o pênis fica endurecido as veias ficam comprimidas e isso impede que o sangue saia do pênis, sendo este um mecanismo facilitador da continuidade da ereção.











O enchimento de sangue no pênis continua até um momento que não dá mais e ai chega-se a uma situação de equilíbrio e chegou-se a uma ereção máxima. Pode-se visualizar nesse momento o chamado ângulo de ereção do pênis. Não existe uma regra, um padrão para esse ângulo, de modo que não se pode dizer que o certo é o pênis apontar para cima, ou para a frente. 











O ângulo da ereção depende basicamente do esforço praticado por um ligamento que suspende o pênis e faz com que o pênis se mantenha numa posição. Este ligamento está na base do pênis, internamente ao púbis. Alguns homens com a finalidade de aumentar o comprimento do pênis recorrem à cirurgia de rompimento desse ligamento, o que faz uma porção interna do pênis "sair" mais para fora do corpo.











Porém essa decisão de cortar o ligamento de suspensão do pênis pode custar um prejuízo momentâneo para o ângulo de ereção. Com o tempo, contudo, o corpo reage e procura criar um novo ligamento no lugar do corte e depois de algum tempo, quando o ligamento estiver totalmente curado, o pênis consegue atingir o ângulo de ereção anteriormente obtido, ou próximo dele uma vez que o pênis agora com maior comprimento pesa mais.











O ângulo de ereção com probabilidade de acontecer mais frequentemente é entre 30 graus e 85 graus, a partir da posição flácida que o pênis assume, isto é, quando flácido o pênis de um homem em pé costuma apontar verticalmente para baixo. Constatou-se, assim, que para a maioria dos homens os pênis ereto não atinge a posição horizontal, ou seja, não chega a apontar exatamente para a frente. 


Os dados obtidos especificamente nesta pesquisa trata de homens nos Estados Unidos da América, mas já é um bom indicativo para os homens do Brasil, uma vez que eles tem o fenótipo parecido. Bom, segundo os pesquisadores 61% dos homens tem o pênis ereto num ângulo de ereção entre 31 graus e 85 graus. Ou seja, 61% dos homens apontam o pênis até quase a posição horizontal.











Somente 35% dos homens conseguiam posicionar o pênis ereto acima da horizontal. O gráfico que eu fiz com base nos dados nos dados desta pesquisa específica realizada em 1997 e publicada com o título de "Penile erections: shape, angle and length" nas páginas 195-207 do Journal of Sex and Marital Therapy.











O ângulo varia de homem para homem e não há regra ou ângulo certo ou ideal. De um modo geral quanto mais novo o homem é mais sua ereção se eleva. À medida que o homem vai envelhecendo, além de levar mais tempo para o pênis ficar no estado de ereção completa, também o pênis diminui o ângulo da ereção. Para trepar não há problema devido a variação no ângulo, seja horizontal, vertical, lateral, ou o que for.











Cada homem tem a sua característica de ângulo de ereção e é algo que não dá pra ser alterado. E como na natureza a diversidade é importante, também na questão do ângulo de ereção há diferenças, quero dizer com isso que pode acontecer de um homem já de meia-idade ou até mais velho ter uma ereção acima da posição horizontal, embora somente um terço dos homens probabilisticamente consigam isso. 











Encontrei uma outra pesquisa, porém não tem referências bibliográficas e desse modo não pode ser considerada científica como a pesquisa que mencionei anteriormente. Bom, o que interessa é que nessa outra pesquisa revela que 15% tinham uma curvatura no pênis do tipo "n", indicativa que o pênis ereto tende a curvar-se para baixo. 











Com relação aos homens pesquisados alguns tinham o pênis do tipo "u", para ser exato foram constatados que 22% deles tinham o pênis curvando para cima. Fazendo as contas de 15% com pênis ereto tendendo a curvar para baixo mais 22% tendendo a curvar para cima, sobram 63% com pênis ereto retos (sem nenhuma curvatura para baixo ou para cima).

Nenhum comentário:

Postar um comentário