sábado, 18 de junho de 2011

Ex-gay existe?

Acontece de haver certos homossexuais que não admitem a sua condição e desejam tornarem-se ex-gays. Isto é possível? Não, isto não existe, é algo impossível de acontecer. Contudo, é factível que um gay reprima ou mesmo abandone práticas gays. Evidentemente, interromper e cessar atitudes gays não faz desse cara um heterossexual.


Ah, você pode me dizer que há gays que vão a certas igrejas e pelo poder de Deus, ou Jesus, ou do Espírito Santo, ou com a expulsão de demônios ou com uma certa terapia um gay vira um ex-gay, ou ainda melhor, vira um homossexual. Bom, é sobre isso que você vai ver hoje aqui nessa postagem.


Lembrando que eu não sou psicoterapeuta e afins, de modo que o que está postado aqui é uma discussão informal e se você se sente prejudicado / deprimido / infeliz / etc. com a sua homossexualidade, leia esse texto e depois pense seriamente em procurar ajuda médica. Essa ajuda médica é para que você possa viver bem com você, seja lá qual for a sua escolha comportamental sexual, ok?


Você deve ter conhecimento que enquanto no Congresso Nacional não passa nem a lei de igualdade civil nem a lei contra a homofobia, o Poder Judiciário apareceu e tomou uma atitude. Reconheceu os direitos civis dos homossexuais de formarem uma união civil, de um gay colocar o outro como dependente no INSS, etc. É uma pena que os senhores deputados federais tenham agido como agiram, negando justiça para os gays. Bem diferente do que aconteceu na Argentina!

video

Falando em Argentina, tão logo o projeto de lei chegou no Congresso Argentino ele foi votado e aprovado. Mas nem tudo é um mar de rosas. Atualmente há uma reação de parte da sociedade argentina, conservadora e retrógrada, que está abrindo instituições de cura de gays. Essas entidades são patrocinadas por igrejas. Tornar os gays em ex-gays.

Essa questão de igrejas criarem lugares para curar gays não é nova, mas frente às crescentes conquistas (inevitáveis) dos gays, a audácia da proliferação desses lugares está gritante. E se existem cada vez mais esses lugares para "cura" dos gays, é porque tem gay que quer ser ex-gay ou vir heterossexual. Você vai saber agora como é que essas instituições financiadas e mantidas por igrejas "curam" gays.


O "tratamento" do gay tem embasamento nas crenças religiosas cristãs que estão na Bíblia, você já sabe, tudo aquilo incriminando o homossexual como pecador, e, tudo é feito no sentido de fazer o gay sair do pecado da sodomia e do pecado da promiscuidade. Para se tornar um ex-gay é preciso arrependimento. Jesus e o Espírito Santo podem transformar totalmente a saúde, as finanças e, por que não poderia, a condição sexual?




Com base nessa falácia (falácia = argumento logicamente inconsistente, sem fundamento, inválido ou falho na capacidade de provar eficazmente o que alega) de que o gay é pecador, sua natureza é antinatural e agride a Deus. Aliás, Deus criou os homens com potencial para a homossexualidade ou para a heterossexualidade, mas Deus determinou que praticasse a heterossexualidade. Esse é o ponto central do trabalho dessas instituições.


Chegaram até a criar um software no iPhone chamado Exodus que orientava como o gay podia se libertar da homossexualidade, porém, a Apple parou de vender o aplicativo depois de forte reação de setores ligados aos direitos humanos. Afinal não tem nada de humano ou legal "curar" gay. Nossa, que progresso, em épocas outras esses setores retrógrados desejariam "curar" o gay a flechadas... (não estou falando que São Sebastião é gay! mas a "caça às bruxas é a mesma...).




Sobre o "tratamento" ele pode ser operacionalizado por três vertentes: Cura, Libertação, Restauração. Não vou alongar muito porque você pode ler o artigo HOMOSSEXUALIDADE, GÊNERO E CURA EM PERSPECTIVAS PASTORAIS EVANGÉLICAS, por favor, leia, na verdade você deve ler, para abrir mais sua cabeça (antes que a igreja e setores  conservadores abram a sua cabeça literalmente). No tratamento de cura da homossexualidade a mudança de orientação sexual parte da ideia de que fazer o gay aceitar e obedecer às leis religiosas contidas na Bíblia. Se ele deixar de ficar apartado / afastado de Deus ele vai conseguir a cura. 



No "tratamento" de libertação o gay deve se libertar de um mal, um demônio, que está dentro dele. Para ser um ex-gay o cara tem que confessar ser um pecador num ritual de muitas orações, de preferência onde possa ser formada uma corrente humana e com a presença de um religioso (um pastor). Desse jeito o cara se livra do demônio que o atazana, o inferniza e o faz ser um gay.


Acredita-se que depois da libertação da possessão pelo demônio é feita uma limpeza do pecado e da vida errada o ex-gay passa a ter uma nova vida. A terceira técnica é a da restauração sexual. É só o cara seguir um modelo masculino ideal, portanto, vai ter que se afastar dos trejeitos e modismos de andar e falar dos gays, fazer mais esportes e menos frescuras como ficar na Internet , etc.  Enfim, vai ter que "retornar" ao gênero masculino. Ouvir Cher e ir na Parada Gay, nem pensar.


É o que eu tinha para apresentar hoje. Finalizo deixando um conselho para o homem que se descobre sentindo prazer em olhar, aproximar-se ou transar com outro homem: não é pecado, não é anti-natural, não é uma ilusão. É simplesmente a vida se manifestando em você, do jeito que a vida é, abundante de formas e forças. Pela Lei da Ação e Reação, que até tem muito a ver com a Lei do Karma, quanto mais você lutar contra a sua natureza mais a sua natureza vai lutar contra você. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário