segunda-feira, 30 de maio de 2011

O amor que não ousa dizer o seu nome

Depois de assistir ao filme WILDE me senti impelido a comentar sobre a vida de Oscar Wilde com base no que encontrei na Internet. Ah, o filme tem duração de 1 hora e 56 minutos e é legendado em português (do Brasil).  


No final do filme há um texto na tela dizendo que ele teve sua saúde abalada na prisão e morreu pobre em Paris, em 30 de novembro de 1900, aos 46 anos de idade. Não esclarece que Oscar Wilde morreu de meningite cerebral às 13 horas e 45 minutos no quarto 16 do Hotel d'Alsace que fica na Rue des Beaux Arts, 13.


Também não apresenta a informação que seu túmulo está no Cimetiere Père Lachaise. Seu túmulo tem muitas marcas de batom de visitantes que beijam a parede da escultura. Para os cuidadores do cemitério, que é um ponto de visitação turística e não mais enterram pessoas, os beijos são a maior ameaça ao túmulo porque, diferentemente do grafite que pode ser removido,  batom contém substâncias que são absorvidas pela pedra.


Já danificaram o túmulo, quebrando partes tais como duas vezes castraram o anjo de pedra que sobrevoa o túmulo. Por incrível que pareça uma vez o dano à escultura foi feito... pelo guarda do cemitério, ele achou o bilau do anjo indecente o quebrou fora para usar, durante anos, como peso de papel.


Depois de um tempo essa peça desapareceu. A escultura foi restaurada, ou seja, o genital do anjo foi colocado no lugar. Em 2000 o artista Leon Johnson criou e instalou no anjo uma prótese em prata, que é o que está lá até hoje.


É bom lembrar que a escultura foi idealizada e instalada por Jacob Epstein em 1909 e na época causou controvérsia sendo considerada indecente, pelo que foi recoberta durante um bom tempo com uma lona impermeável, por ordem da polícia francesa.


Já tinham feito um filme em 1960 chamado Oscar Wilde mas o filme que assisti é Wilde, feito em 1997. O filme foi lançado no Brasil em 1999. O ator que fez o papel de Oscar Wilde é Stephen Fry, nossa, como ele está super parecido! Ele é gay e é bipolar, quero dizer ele é gay no filme e na vida real, mas bipolar só na vida real.


Vou repetir parcialmente o sumário do site IMDB, escrito por Cláudio Carvalho:  ... Oscar Wilde retorna a Londres da América e se casou com Constance ... ele faz muito dinheiro com suas peças de sucesso. Ele se aproxima do jovem Robbie Ross e "sai do armário" ... Quando ele conhece Bosie ... ele se apaixona pelo rapaz, mas o pai de Bosie vai ao tribunal acusando o escritor de sodomita e Wilde é condenado a dois anos de trabalho forçado. Sua saúde é afetada ... e ele tem uma vida curta em Paris após a saída da prisão.


O filme abre mostrando a visita de Oscar Wilde a uma mina de prata no Colorado, Estados Unidos, é uma cena ampla, retratando as roupas e hábitos da época (1882), a grandiosidade do começo do filme dá um impacto na gente, tanto pelo cenário quanto pelo charme e inteligência de Wilde. Este bom começo anima a gente a ficar todo o resto do filme, quase duas horas de duração.



As "cenas quentes" você encontra por exemplo aos 14 minutos e 40 segundos quando Robbie convida Wilde a sair do armário, transando com ele, claro! A captura da cena do filme ficou com uma acentuada escuridão, mas dá pra ter uma ideia.



Aos 20 minutos e 30 segundos tem mais outra "cena quente":



Aos 29 minutos e 54 segundos Lord Alfred Douglas, cujo ator é Jude Law, ele novinho está muito dos fofo, transa com Wilde pela primeira vez.



Bom, espero que você assista o filme. Não é um filme pornô, é um filme que aborda aspectos da vida de Oscar Wilde na fase que ele pôs em prática a sua homossexualidade. Adorei o filme. Espero que algum diretor tenha a ideia de fazer um filme sobre a vida dos dois filhos de Oscar Wilde, na época depois que foram morar fora da Inglaterra. Cyril Holland (trocou de nome porque Wilde era mal visto) morreu como soldado na Primeira Guerra Mundial.



Vyvyan morreu com 80 anos em 1967, a foto acima é dele. Vyvyan era criança quando Wilde foi preso e nunca mais ele viu o pai, depois de 1895. Ele teve um filho em 1945 chamado Christopher Merlin Vyvyan Holland (foto abaixo), inclusive o Stephen Fry conheceu ele pessoalmente. Ele ainda é vivo, normalmente prefere ser chamado como Merlin.



Merlin Holland teve um filho, Lucian Holland, em 1979, bisneto de Oscar Wilde. Lucian estuda na mesma universidade que Oscar Wilde frequentou, e faz programação de computadores. Em novembro de 2011 fará 111 anos de morte de Oscar Wilde. Mas voltando ao filme "Wilde", no final do filme é mostrado Oscar Wilde escrevendo na prisão.



No filme é dito que ele escreveu "As profundezas" mas pelo que consta ele saiu da prisão em 1897 e escreveu "De Profundis" (Das profundezas, em latim) durante uma viagem que fez à Itália, e não na prisão. Na prisão, durante os dois anos que ficou detido pela acusação de pederastia pela Justiça britânica, ele escreveu foi a Balada do Cárcere de Reading. Na Livraria Cultura você encontra um livro contendo estas duas obras ao preço de R$12,90 (em junho/2011). Na Saraiva é este mesmo preço.



Oscar Wilde escreveu De Profundis na forma de uma carta para seu amante, Bosie, que é o apelido do Lord Alfred Bruce Douglas, explicando os seus sentimentos e a sua pretensão de nunca mais vê-lo. Esta foto acima é do dito cujo e você note que Jude Law, o Lord Douglas no filme, parece-se muito com ele. A foto acima foi tirada em 1903. A de baixo é de 1914.


No filme o advogado de acusação pede a Oscar Wilde que ele explique o que significava "o amor que não ousa dizer o seu nome". Esta frase  que foi utilizada contra Wilde no seu julgamento foi escrita por Lorde Douglas, ele era poeta, fazia parte do poema Two Loves. A frase se refere à homossexualidade.



Para saber mais sobre ele em Lord Alfred Douglas Unofficial Website (site em inglês). Para saber quais foram seus livros dê uma olhada em Lord Alfred Douglas Bibliography (site em inglês). A foto acima e a de baixo mostram Wilde e Bosie, aparentemente foram tiradas na mesma hora e local, mas não sei esclarecer detalhes.



Wilde foi para a prisão de Reading Gaol (foto abaixo) em 25 de maio de 1895. Como passou dois anos preso, foi libertado em 19 de maio de 1897. 



No filme é mostrado que Wilde e Bosie se reencontram, mas não dá detalhes. Pois então, se é pra esclarecer, esclarecerei! Eles se encontram na França em agosto de 1897, em Rouen, uma cidade histórica e cheia de monumentos que fica na Normandia. Provavelmente eles se encontraram pela primeira vez após a saída de Wilde da prisão na praça da Catedral de Rouen (foto abaixo). 



Os dois viveram juntos em Nápolis mas em 1897 Lorde Douglas retorna para a Inglaterra e Wilde foi morar em Paris. Wilde morreu em 1900 e em março de 1902 Lord Douglas casa-se e em novembro deste mesmo ano, 1902, nasce seu filho, Raymond Wilfred Sholto Douglas. Lord Douglas morre em 1945 de insuficiência cardíaca. Foto do túmulo de Lorde Douglas:





A foto abaixo é de Raymond. Raymond morre em 1964, este não deixa herdeiros. Detalhe: Raymond tinha uma desordem mental chamada de transtorno esquizoafetivo. 



Transtorno esquizoafetivo é uma doença que causa momentos de depressão e momentos de euforia, os momentos vão se alternando. Esta doença é um tipo de esquizofrenia e como tal afeta a capacidada da pessoa de perceber a realidade e compromete a capacidade laborial (de trabalhar) da pessoa. A pessoa pode ter alucinações, delírios, paranóia.





Raymond teve várias internações. Foi internado em 1927 e ficou 5 anos no hospital psiquiátrico.  Depois, em novembro de 1944, foi internado no Hospital Saint Andrews  (foto acima)  e fica internado até outubro de 1964, quando morre. Pra terminar queria pedir pra você assistir mesmo o filme, ok? Abraços.

Um comentário:

  1. Assisti o filme.
    Valeu sua pesquisa sobre Wilde, autor de uma das obras primas da literatura universal: O Rouxinol.

    ResponderExcluir