terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Bareback: o que é isso?

Alguns vídeos que gosto de assistir tem cenas de bareback. Uma das razões que me fazem assistir essa prática sexual gay, se não a mais importante, é que eu não a pratico, de modo que permito-me me colocar no lugar de quem está transando e sentir-me fazendo o bareback que na minha vida real é uma prática inadmissível. Se não houvessem riscos eu faria o bareback. Afinal, o que é o bareback e porque fazê-lo ou não fazê-lo.


Bareback é o sexo anal entre homens sem o uso da camisinha isto porque importa haver a troca de fluidos corporais e haver mais contato íntimo entre os parceiros. É um prática polêmica entre os gays mas é muito comum entre os heterossexuais. Entre os héteros não se costuma chamar o sexo sem camisinha de bareback, simplesmente chamam essa prática de "fazer sexo" e entre héteros também acontece no mundo da prostituição porque faz elevar o cachê. 


Para quem se lembra da epidemia de AIDS dos anos 1970 e 1980 que vitimou muitos gays, também héteros mas não tão significativamente, a prática do bareback parece ser loucura, porém desde os anos 1990 a quantidade de gays que estão praticando o bareback está aumentando, segundo pesquisas realizadas nos Estados Unidos. Parece que no Brasil essa prática está em ascenção, haja vista a quantidade de caras nos messengers que dizem querer o bareback e a veiculação de convites para festas de orgia gay onde a palavra de ordem é não usar camisinha.


Gostaria de salientar que eu não tenho uma posição moralista com relação à prática do bareback, não é minha intenção passar aqui alguma lição de moral ou julgamento, aliás, eu não tenho em razão das minhas viadagens anteriores já que nos anos 1970 antes do surgimento da AIDS, ou pelo menos tanta publicidade sobre ela, eu chupava rola e bebia leitinho, o que na época era considerado um ato "normal". Por isso meu passado me condena, não é mesmo. Isso confirma que esse texto é informativo apenas. Acho que o bareback está ai e tem gay fazendo, então porque eu não falar sobre isso?


O bareback originalmente designava o sexo anal sem camisinha mas atualmente o termo serve para as práticas gays nas quais há troca e contato de esperma entre os parceiros. Portanto, pode ser considerado bareback o sexo oral em que acontece o contato do esperma dentro do corpo do outro, ou seja, se o cara goza na boca do outro está praticando o bareback. E mais além, alguns especialistas em comportamento seuxal masculino entendem que o bareback acontece até mesmo quando o esperma de um dos parceiros entra em contato com qualquer parte do corpo do outro parceiro, por exemplo, o cara goza na cara do outro, goza superficialmente no cú do outro, o cara goza sobre o peito, por exemplo, e o outro lambe e engole a porra de quem gozou, etc. Desse modo, qualquer contato do esperma de um cara com o corpo do outro cara pode ser considerado como uma prática de bareback. 


Certos especialistas acreditam que há algumas razões para um gay preferir a prática do bareback. A primeira razão para um cara gay fazer bareback é que ele se sente melhor fazendo sexo sem camisinha. Alguma situação física ou psicológica leva o cara ativo a querer meter sem camisinha para que chegue o "sinal" do prazer ao seu cérebro. O seu pau tem uma fisiologia tal, ou a sua maneira de pensar sobre sexo tem uma característica tal, que é preciso o contato direto do pau com o corpo do outro, o passivo, para que ele possa sentir prazer e chegar ao orgasmo. O uso da camisinha impede o envio de sinais de prazer do pau para o cérebro, então o cara sente-se melhor fazendo sexo sem camisinha. Afinal o objetivo de fazer sexo é ter (e dar) prazer, não é mesmo?


O ativo não consegue chegar ao orgasmo se tiver uma camisinha no pau, e pior, o nível de ansiedade aumenta tanto que a performance da foda fica comprometida. Tirando essa situação que poderia ser tida como patológica, muitos adeptos do bareback o praticam por acreditar estar fazendo uma transgressão, mais ou menos na linha do tudo que é proibido é mais gostoso. Numa época na qual o estilo de vida gay recomenda e até impõe o uso da camisinha, não usar camisinha torna-se um tabu, algo altamente condenável. Usar camisinha é atualmente, mais do que alguns anos atrás, considerado politicamente correto pelos gays. Violar essa recomendação sexual de usar a camisinha pode tornar a transa altamente erótica e compensadora. 


Especialistas dão outro motivo para a prática do sexo sem camisinha: certos homens, ativos ou passivos, se cansaram de se prevenir do vírus HIV e simplesmente partiram para o sexo "sem borracha" para se livrar da pressão contínua de ficar se preservando da contaminação. Mais ou menos a situação de que se eu ficar soropositivo, fiquei, mas não vale a pena ficar usando camisinha e ficar se privando de prazer por conta de algo que pode ou não pode acontecer. Parece que o gay, ativo ou passivo, acha que há uma probabilidade de pegar o vírus HIV, porém, mesmo que um dia talvez pegue, há o tratamento. Afinal, a quantidade que se conhece de pessoas que morrem de AIDS hoje em dia é mínima, sendo que gays soropositivos continuam vivendo sua vida (quase) normalmente. Então contaminar-se com o HIV não é algo tão assustador assim.


Há uma explicação do porque um cara faz sexo sem camisinha, levando em conta o lado psicológico e emocional do indivíduo. O bareback é a forma com que o gay tenta acabar com a terrível e opressora sensação de isolamento. É verdade que todos nós passamos por uma fase, até mesmo duradoura, na qual a gente se percebe separado dos outros, a gente tenta criar laços mas parece que esses laços nem sempre são profundos ou longos, talvez porque a vida é tão corrida e estressante. Mas principalmente nós que somos gays viemos historicamente sendo isolados e discriminados, assim a nossa sensação de isolamente é maior, mais aparente, mais sofrida. O tempo todo a sociedade tende a ser hostil com os gays, você sabe disso, não é, alguma vez na vida você deve ter sofrido na carne essa situação de isolamento, mesmo se você já se assumiu, saiu do armário, essa sensação permanece, mesmo inconscientemente, com você.



Me lembro que quando eu cheguei em Belo Horizonte e conheci uns caras que fumavam maconha depois que a boite terminava e enquanto a gente ia pros butecos. É comum o uso de maconha acompanhado, junto de outras pessoas. Há uma comparação com o bareback quando é praticado em orgias. É altamente satisfatória a proximidado do outro, ou dos outros, e a troca de parceiros diminui a sensação de isolamento. Todos se entregam a todos, estão todos intimamente ligados, interdependentes, iguais. Na orgia bareback a intensa necessidade de se sentir verdadeiramente ligado a outros acontece.



Se o bareback é uma forma mais profunda de intimidade, algo mais do que ficar perto de alguém, é então uma ocasião de entrar em fusão com o outro. O bareback é a forma encontrada para quebrar as barreiras que separam pessoas, portanto a camisinha é um objeto que ajuda e mantém a separação das pessoas. Espero que o texto acima sirva para reflexão e para uma autocompreensão de suas necessidades sexuais caso você esteja inclinado a fazer ou já seja adepto do bareback. Se você tem algum conhecimento do assunto, eu toquei no assunto apenas como leitor de artigos em inglês que encontrei na Internet, por favor, compartilhe com a gente. Seja corrigindo o que escrevi, seja esclarecendo, seja explicando melhor o assunto. Se quiser fazer isto, eu e os leitores do blog agradecemos desde já a você. Abraços. E seja feliz sendo VOCÊ mesmo!





2 comentários:

  1. Muita bacana e pertinente o teu texto. Além de esclarecer muitas dúvidas, mostra a importância do uso da camisinha. Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Muito bem escrito e pensado!
    Hoje em dia a aids não mata. E na minha opinião é melhor sentir o prazer na pele ao natural, do que ficar se privando disso por causa de um virus da qual a cura está próxima!

    ResponderExcluir