O que você achou desta postagem?

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O carinho se manifesta de várias formas

Eu nasci em 1956 e vou fazer 55 anos em 2011. Tenho aqui em casa roupas e sapatos que comprei faz uns 20 anos. Sou do tipo de cara que compra uma coisa e cuida dela, por exemplo, eu mantinha no armário sapatos, calças e camisas, sem uso mas em bom estado. Tinha calça jeans que eu comprei lá pelos idos de 1990 e que ainda usava, raramente, mas usava. Os sapatos de bico redondo faz tempo que parei de usar porque a moda agora é sapato de bico quadrado, e os guardei todos engraxados, com o salto novo porque mandei trocar antes de guardar. 


A questão aqui que estou levantando é que tem cara que entra no messenger e quando digo que tenho 54 anos diz que eu sou velho, papi, tio. Talvez porque eu tenha a idade do pai deles, eles acreditando assim que eu me pareça mental ou fisicamente com o pai deles. Então desligam a janela do messenger, puffff! Evidentemente que gente assim eu bloqueio e excluo do meu messenger. E olha que se a pessoa me conhecesse pessoalmente, ou me visse na cam, perceberia que eu tenho mais idade mas não estou acabado. É uma pena que ter mais idade para certos tipos de pessoas é motivo para elas agirem com ignorância e desfaçatez.


Realmente tem gente mais velha que é um saco, chatas, rabugentas, sistemas fechados. Não é o meu caso, com certeza. Os gays que envelheceram psicologicamente e não se adequaram aos novos tempos provavelmente entram no messenger e são rejeitados. Os gays mais velhos que entram no messenger querendo mostrar a bagagem positiva que acumularam na vida e que são rejeitados, pelos mais novos que são a maior faixa etária na presente web, estes deveriam ter a chance de compartilharem o que viveram. Um aviso aos gays mais novos: ninguém envelhece realmente por dentro, o corpo, este sim, envelhece. Por mais que o tempo passe por dentro a gente sempre fica e se mantém jovem porque alma não envelhece.


A primeira vez que ouvi o Jimmy Somerville foi um tempo depois que cheguei a Belo Horizonte, final da década de 1980. Logo, faz quase 30 anos! Estava falando de velhice porque eu queria comentar hoje sobre o Jimmy Somerville e como ele fez sucesso na época em que eu era mais jovem, muitos gays jovens de hoje, talvez não tenham nunca ouvido falar ou escutado este cantor na vida. O que é uma pena! Taí talvez um dos motivos para "aguentar" caras mais velhos como eu, a bagagem que a gente tem (ou deveria ter) sobre as coisas gays que aconteceram no mundo, e que a gente pode falar delas aqui neste blog e em vários outros canais na Internet.


Para muitos gays só existe Madonna, Beyoncé, etc o que é lamentável. O estilo de vida gay que a gente conhece hoje fou construído com muita luta por pessoas maravilhosas como o Jimmy Somerville. Procure conhecer mais sobre esse cantor e você descobrirá uma pessoa talentosa, sensível, revolucionária. Não fique só de músicas rave e pop-rock que tocam nas rádios, vá além, vá ao passado, pessoas mais velhas tem muito a te oferecer. Não acho que o Jimmy Somerville seja um velho, não quis dizer isso, quis dizer que ele é de outra geração, a minha geração, quando ser gay era muito difícil, mesmo perigoso. Ele é um ícone da música gay, mas é mais que isso, é um educador, um orientador, um lutador na comundiade gay. Não quero que você passe por esta vida sem saber quem é Jimmy Somerville.


Aqui tem um edifício, acredito que seja o mais alto da cidade, o JK, construído nos anos 1960, o arquiteto: Oscar Niemeyer. Eu morava nessa ocasião em uma pensão no centro da cidade, perto do meu trabalho, e também perto da boite Troisième, que não existe mais. Eu gostava muito mesmo de dançar e como a boite era mais perto da pensão que ficava na Savassi, eu ia todo o fim-de-semana. Uma vez conheci um cara dentro da boite e conversamos, demos uns amaços. Resolvemos continuar o relacionamento e ele me levou para o JK, ai então eu entrei pela primeira vez no edifício. É um prédio, pode-se dizer no mínimo, diferente. Aliás, como tudo o que Niemeyer faz. As duas irmãs dele estavam em casa e o cara, as irmãs e eu ficamos na sala ouvindo disco de vinil do Communards e conversando. Foi ótimo.


Desde essa época eu gosto do trabalho de Jimmy Somerville, ainda bem que o tempo vai passando e ele continua cantando e o seu brilhantismo continua. O dance-pop dos anos 1980 é eterno, aqui em Belo Horizonte tem casas noturnas que designam uma certa noite para os flashbacks, uma ótima ideia para quem viveu ou gosta das músicas daquela época ouvir e dançar mui-iiii-to. Uma coisa que percebe-se é que as músicas daquela época são superdançantes, envolventes, alegres, cheias de energia boa. Enquanto muitos cantores dos anos 1980 e anos seguintes, que eram gays, não queriam que o público soubesse isso, Jimmy Somerville sempre assumiu ser gay. Já na banda Bronski Beat em 1986 ele assumia-se, depois na dupla The Communards também assumia-se gay. Sempre foi coerente, sincero, honesto com o mundo.



Não vou colocar links sobre a vida e a biografia e a discografia do Jimmy Somerville. Peço a você que vá ao You Tube e digite o nome dele e você vai achar muita coisa. Pra começar, se você ainda não se convenceu da necessidade de ampliar a sua cultura gay, vá ao site oficial de Jimmy Somerville. Se você não sabe inglês dou a dica de você  baixar no seu computador o Google Chrome porque este navegador, quando a página abre, percebe que a página está em inglês e te pergunta se você quer que faça a tradução para o português. O Google Chrome é dado de graça, eu usava o Internet Explorer, depois o Mozilla Firefox e agora só uso o Google Chrome, você pode baixar no Google, é um excelente navegador, você que é um usuário de Internet de nível normal, isto é, faz visitas na Internet por lazer, vai gostar.


Esta música no ritmo de reggae é dito que o Jimmy Somerville gravou em homenagem aos gays que morrem na Jamaica, um país considerado homofóbico. Lá na Jamaica fuma-se maconha numa boa mas lá os gays não são tolerados, irônico isso, não? Bom, pra terminar, eu doei as roupas e sapatos que tinha guardado faz anos para as pessoas vítimas daquela calamidade na serra fluminense. Levei até a Cruz Vermelha e acredito que já estejam servindo em alguém. A pessoa, ou pessoas, homens porque meus sapatos e roupas são masculinos, jamais saberão que são roupas e sapatos de um gay. É uma forma de eu dar meu carinho para outro homem, esta pessoa que passou por aquele horrível trauma das chuvas agora tem algo que era meu. Essas roupas e sapatos são tão gays como eu sou gay, pois eram meus. Se a pessoa que estiver usando for homofóbica, espero que o carinho da minha doação a faça ser um ser humano melhor. Todo mundo é capaz de dar algo de bom para o mundo!






sábado, 29 de janeiro de 2011

Paródia de música: Minha Mulher Não Deixa Não

Eu ainda não fui além de Porto Seguro mas eu tenho muita vontade de ir à outros lugares do Nordeste. É um presente para o Brasil o Nordeste. Toda aquela riqueza cultural, a começar pelo modo de falar nordestino. As músicas então, eu adoro. Aqueles com malícia e duplo sentido eu ouço e me divirto. Tem gente que acha essas músicas ridículas mas eu não penso assim. Em Porto Seguro, no Axé Moi, eu comprei um DVD do Aviões do Forró e foi nessa ocasião, em 2006, que ouvi pela primeira vez essa banda. Comprei do vendedor que apareceu na nossa mesa na praia sem saber quem era o tal do Aviões do Forró. Comprei só porque era uma banda do Nordeste e só por isso achei que valia a pena comprar.


Fomos de avião e ficamos hospedados no Hotel do Descobrimento, numa das ruas principais, próximo à Passarela do Álcool. Fomos ótimamente tratados pelo pessoal do hotel, inclusive chegaram até a fazer um bolo de mandioca para nós, um grupo de oito pessoas, só porque a moça que cuidava do café da manhã ouviu a gente comentar que gostávamos de bolo de mandioca. A atendente falou para o dono do hotel, quando apareceu por lá, ele é fazendeiro, e mandou da fazenda dele a mandioca que ele mandou retirar da horta, só pra fazer o bolo pra nós. 


Nós não sabíamos mas o hotel ficava ao lado de uma lanchonete que ficava aberta 24 horas. Até que quando chegamos tomamos uns capuchinos lá, tomamos umas cervejas, ficamos sentados conversando olhando as pessoas circulando. Só que a noite chegou e fomos pros apartamentos acabar de arrumar as coisas e dormir mas o povo só ia parando carro em frente da lanchonete e a lanchonete tinha um som ligado alto tocando músicas de axé o tempo todo, a madrugada toda. Foi uma dificuldade dormir, uma porque a música estava alta e outra porque era um tipo de música que a gente de Belo Horizonte, pelo menos nós, não estávamos acostumados. A noite toda eu não consegui dormir.


Na segunda noite eu também não consegui dormir e o incrível é que eu ficava na cama ouvindo as músicas e até cheguei a decorar a letra. Quando a gente ia pra praia em Porto Seguro ou em Arraia D'Ajuda eu começava a cantar e o pessoal da nossa turma pedia para parar, porque lembrava a noite mal dormida, mas eu cantava, e ria, pura gozação. Então esta semana encontrei essa música Minha Mulher Não Deixa Não e as paródias feitas em cima dela, e relembrei a nossa estada em Porto Seguro. Me diverti muito assistindo os vídeos e recordando da nossa ida ao sul da Bahia. 


A Rede Globo fez uma reportagem em Paulista (PE) com o Reginho, o autor da música.  No vídeo tem a explicação que Marli é a dona do bar onde o Reginho escreveu a música num papelzinho onde a garçonete anota o pedido do freguês. Nesse país onde tantas "celebridades" são fabricadas, este é um artista verdadeiro, a arte imitando a vida.




quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Antigas cartas de amor ou algo assim

Em primeiro lugar quero dizer que agradeço muito a estas pessoas que um dia expressaram em cartas o quanto gostavam de mim. E sinceramente pedir a elas, após tantos anos, o seu perdão por eu não ter conseguido entender o que era amor, o que era o seu amor por mim. Estou profundamente triste e pedindo sinceras desculpas e espero que tenham encontrado, depois de passarem em minha vida e eu nas vidas delas, o amor em outra pessoa e que, atualmente, estejam amadas e felizes.


Quando eu morei em Brasília eu conheci um rapaz negro, baixinho e gordinho. Ele frequentava um terreiro de candomblé e queria ser um dia um Pai de Santo. Eu o amava mas um dia o amor, ou paixão, acabou, e eu rompi com ele. Ele não esperava que a relação acabasse.  O Lulu não tinha muito a me oferecer porém ele tinha o maior amor do mundo para me dar. Eu achava que isso não era o suficiente.  Eu me aborrecia quando ele voltava e pedia para retornarmos porque eu achava que merecia um cara melhor, mais rico, mais inteligente, mais divertido. Em seguida fiquei sem o amor dele e fiquei sem o amor dos caras mais ricos, inteligentes, divertidos. Esta carta foi escrita por ele um dia antes do meu aniversário.


"Brasília, 7/9/94. Oi meu xxx. Há muitos homens maravilhosos neste mundo mas de algum modo eu sei que você é o único pra mim. Não é difícil saber porque . Você tem tantas coisas que preciso e adoro... Você é sensível, mas forte, sério, mas divertido, romântico, mas prático também. Você me deixa ser eu mesmo e isto me faz feliz. porque [posso ser] a pessoa que sou. Gosto muito de você. Do seu Luluzinho. Obs.: 8/9/94. Seja, sempre, um caminho de paz na vida de alguém. Ternura e alegria. Só assim conquistará grandes escritas na vida. Do seu você já sabe,


Em 1996 eu conheci um outro cara negro e gordinho, acho que eu tinha uma queda por homens negros, e a gente ficou pouco tempo, talvez um mês. Ficamos até o dia no qual ele me apresentou o seu melhor amigo, o Willian, ai eu me apaixonei por ele. O cara me disse como é que você me troca pelo meu melhor amigo? e eu respondi, aconteceu. Também não durou muito. Eu me lembro que eu e o Willian íamos dormir no motel após a boite Fashion, na época a boite ficava no Barro Preto, e me lembro que o William adorava água. Ligávamos o chuveiro e a gente ficava tomando banho juntos, quando eu saía, ele ainda ficava debaixo do chuveiro, cantando e me falando coisas engraçadas.


"XXX.  Que as desilusões não sejam barreiras para [nos fazer] desistir de lutar. Mas que elas se tornem a única razão de você lutar e mostrar a todos que você é capaz de vender. Willian. Confio em seu taco. Parabéns por ser essa pessoa envolvente e por cima de tudo gostosa. 29-maio-96. Beijos"


Em 1995 eu tive que ir a São Paulo fazer um estágio e fiquei num hotel que a empresa escolheu. Ficava cercado de colegas durante o estágio e durante a permanência no hotel. Fiquei de saco cheio e resolvi ir à uma boite à noite, chamada Star. Lá encontrei um cara e dançamos e bebemos a noite toda. Quando já tinha metrô nós fomos para a casa dele, longe pra caralho. Esse cara ficou apaixonado por mim, mesmo sabendo que eu era um caso passageiro de no máximo um dia na vida dele. Ele me mandou algumas cartas para Brasília, onde morava. Parecia que me amava mesmo!



"Isto é eu pensando em você! Só você me faz ficar assim! Te amo muito. Aqui estou fazendo isto [o desenho] e chorando [e] pensando em você! XXX. Desculpe-me se você não gostou. É porque eu sou muito romântico...Eu fiz com as minhas próprias mãos. Fim por fim. Feito por mim. Cloves"


Depois recebi várias cartas dele, respondia mas falando de coisas gerais, não dava esperanças para ele. Um conhecido dele me mandou essa carta mas eu não mudei minha posição com relação aos sentimentos do Clóvis.


"São Paulo, 14 de fevereiro de 1995. Prezado XXX. Tomei a liberdade de escrever para você, sem ao menos te conhecer pessoalmente, mas preocupado com o estado que se encontra o Clóvis. Ele atualmente só fala em você, cria um mundo de fantasias em relação a você. A consequencia disso é que ele se encontra em cama com febre, chorando pelos cantos da casa, abatido e desanimado. Pelo fato de ser uma pessoa muito sensível, as reações dele chegam a me preocupar. Você entende como são essas coisas. Ele me deu as suas cartas para eu ler e pelo estado dele, ele não considera apenas uma amizade. E se ele está apaixonadíssimo por você , tenha paciência, isto não significa que eu esteja interferindo no relacionamento de vocês. Ele só fala que gostaria de ir pra Brasília, passar o carnaval com você. Está muito ansioso. Um forte abraço. Aldemir."


Em 1996 eu estava morando e trabalhando em Belém e um dia na praia conheci um cara, acabamos tendo um relacionamento de mais de um ano, só acabou quando eu voltei para Belo Horizonte. Cara, a gente se entendia muito bem na cama e fora dela. Eu estava sob muita pressão no trabalho, que eu odiava, detestava, tinha nojo e raiva do que eu trabalhava. Eu fui muito infeliz em Belém, tirando as idas à praia, a família na casa em que eu tinha alugado um quarto, e o meu "namorado" de Belém que era então a única fonte de prazer que eu tinha.


"Belém, 19-11-96. XXX. Tudo bem com você? Com alegria e saúde estou bem graças a Deus. Enquanto o amor partiu deixando muita saudade. Às vezes fico pensando os momentos felizes que passamos juntos na Praia de Cutijuba. É nesse momento que a saudade aumenta mais. Mas com a chegada de sua carta essa saudade já diminuiu um pouco. Sinto muito não ter me despedido de você, pois cheguei atrasado. Meu coração ficou muito triste com a sua partida, cheguei até a pensar que você tinha viajado magoado comigo. Mas acho que meu pensamento estava errado. Com a chegada de sua carta, percebi o quanto você ainda gosta de mim. Na carta você diz: Fico triste por não ser eu essa pessoa pra te fazer feliz. Mas você é a pessoa que me faz feliz. O ursinho continua comigo, e no meu deitar, fico imaginando a sua pessoa juntinho a mim. Aqui termino com saudade. Beijos e beijos da pessoa que gosta muito de você. Edson."  


Em 1997 eu comecei o meu primeiro namoro sério com um homem, o Flávio, ele era negro, mas não muito escuro, tinha cabelos lisos até. Eu amei esse cara com toda a força do meu coração. Ele era muito muito inteligente, estava fazendo mestrado só por ai você vê que o QI dele era alto. Engraçado, a gente namorava em Belo Horizonte, ai eu fui transferido para Brasília. Depois quando eu sai de Brasília ele foi morar em Brasília, à trabalho. Desse modo, foi nossos trabalhos, nossas responsabilidades profissionais, que nos separaram.


"Bsb, 29/7/97. Meu querido XXX. Estou mandando pra você uma pequena recordação daqui. Foi a melhor foto que consegui tirar. Quando olhar para ela e ouvir o disco Older lembre-se que aqui há alguém que te quer muito, que sente sua falta. A última música do disco, se não me engano, e a primeira, eu dedico a você. A última está [escrita] no passado, mas entenda como presente também. Eu não quero ver você triste.  Quero vê-lo espirituoso e alegre. Você merece ser feliz. Meu telefone é XXX. Pode ligar quando quiser. Um abraço bem forte em ti! De quem te quer muito."


"Para o meu querido XXX. A pessoa mais doce que já conheci, mas que o destino nos separou. Mas fico feliz por tê-lo conhecido, ter vivido momentos felizes. Flávio. Belô 28/07/07."


Em 1998 eu conheci o Hamilton, numa boite e tivemos um relacionamento de uns 6 meses. Só que ele era do interior e ai eu para vê-lo tinha que viajar, ou ele viajar para Belo Horizonte. Ele era mais novo que eu, mas a gente estava apaixonado e tudo era só maravilhas.




Ele me mandou esse cartãozinho: "Te adoro. Te curto. Beijos! Ok! Hamilton".


Em 1998 ainda tive outra paixonite, mas acho que o cara acabou entendendo que era amor a coisa. Eu terminei com ele no dia em que ele me deu um presente de aniversário. Eu disse, olha não posso aceitar, estamos terminando, ele me disse fica com o presente mesmo assim para você se lembrar do tempo que ficamos juntos. Eu disse não posso e ele insistiu. Apertei a mão dele e desejei felicidades e guardei a camisa polo que ele tinha me dado na gaveta, só a usei anos depois.


"XXX. Que este seja portador do carinho e admiração que tenho por você, na certeza do mesmo não externar a dimensão deste carinho. Mesmo assim, neste dia que é seu, desejo-lhe muita paz, amor, alegrias infinitas... Parabéns! Abraços do sempre Jaime 8/9/98"

video

O Jaime é de uma cidade a uns 100 quilometros de Belo Horizonte, que eu não conheço pessoalmente, e não o vi muitas vezes, mesmo assim o sentimento dele por mim, pelo que ele dizia, era muito forte. Mas eu não soube retribuir. Quando pensei em publicar aqui cartas de amor que eu tinha recebido eu fiquei admirado de encontrar uma poesia escrita pelo Jaime para mim. Foi escrita em 1998 e só ontem, 27 de janeiro de 2010, é que eu a li. Não sei como não tinha vista a poesia, ela é comprida, escrita em letras grandes!



"Encontro. 

Dê-me sua mão
Vamos sair por aí
A procurar um lugar
onde possamos descansar
Onde possamos nos abandonar
às ilusões
E quem sabe até
Construir nosso castelo de paz
Não tenha pressa,
vamos sair por aí assim
Deixando que tudo venha a nós
Fazendo que o destino
Se cumpra serenamente
Sem falsos anseios
Sem promessas
Exceto a certeza desse agora
Que nos uniu
Que nos fez únicos
Perdidos em um universo
Repletos de caminhos
Dê-me sua mão
Não nos percamos por ai
Como tantos se perdem
Vamos viver cada segundo
E se tivermos que nos 
desencontrar um dia
Que possa a felicidade de hoje
Transformar-se na força
que guiará nossa jornada no futuro
O amanhã é incerto
Nem mesmo sabemos se a vida
permanecerá em nós
Mas não nos questionemos
Vivamos!
Dê-me sua mão
Prenda-me com algemas de amor
E entrelace meu coração
De maneira tão irrevogável
Que jamais
Em momento algum
Eu possa arrepender-me
De ter vivido
De ter conhecido
E amado tão profundamente
Você.

Bondês 15-5-98 Jaime".


Em 2003 ou 2004, não me lembro bem, conheci o Miguel Alberto. Me apaixonei por ele, achava que era correspondido. E talvez tenha sido no começo, mas passados uns meses ele já estava frio e ausente comigo. Eu achava que o amava, desde que ele estivesse perto de mim, eu ia levando, achando que as coisas iam melhorar. Não melhorou. Quando o conheci ele morava num quarto apertado em uma pensão, convidei ele a vir morar aqui nesta casa que moro até hoje, na época minha família morava comigo, ele foi recebido de braços abertos por todos. Quando ele disse que ia embora eu fiquei muito arrasado. 



"XXX. Obrigado meu bem, por este 1o. mês de namoro! Te amo! Miguel Alberto!"


Lá pelo final do ano de 2010 a minha irmã teve que ser atendida num hospital de Belo Horizonte e encontrou o Miguel Alberto. Ele estava bem, quando a gente se conheceu ele estava fazendo o curso de auxiliar de enfermagem, acho que conseguiu um lugar neste hospital que é considerado bom. Minha irmã disse que eu estava bem e ela me falou que ele parecia bem. Que bom. No origami que ele fez para mim imitando um dálmata (na época eu tinha 2 dálmatas aqui em casa) ele escreveu "XXX. Meu amorzinho tenha um bom dia e que os anjos estejam com você. Te amo muito. Eternamente seu Miguel Alberto. Beijos."




Eu acho que vivi a vida, com seus altos e baixos, tive encontros e desencontros, alegrias e tristezas, enfim, fui humano, mas acima de tudo fui um gay que expressei minha sexualidade plenamente. Atualmente já faz 6 anos que estou num relacionamento, registrado em cartório, e eu espero que dure e que tenha sentimento e respeito entre eu e meu namorado. Quero agradecer aos meus ex por tudo o que houve, e fico me desculpando por ter entrada na vida desses caras tão especiais, e talvez não tenha ficado uma boa lembrança minha. Revendo essas cartas e anotações, percebo o quanto vocês foram especiais e generosos comigo. Muito obrigado. Tudo de bom.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Piadas Gays

Você vai encontrar piadas sobre gays e quero lembrar que eu sou gay. Acho engraçado que haja piadas sobre gays e é bom a gente ficar alegre ao ouvir uma piada sobre gays. É que não vejo as piadas sobre gays uma agressão ou uma conotação negativa, é só uma expressão popular jocosa sobre o comportamento e o pensamento dos gays. Rir, dizem, é um bom remédio. 


Piada 1:

As cinzas do bofe

Três homens morreram e estavam para ser cremados. Três bichas estavam na casa funerária discutindo sobre o que pretendiam fazer com as cinzas dos seus bofes.

A primeira bicha disse: "Meu Pedrão adorava voar, então eu vou em um avião e espalharei as cinzas dele no céu."

A segunda bicha disse: "Meu Luizão era um bom pescador, por isso estou indo espalhar suas cinzas no nosso lago favorito."

A terceira bicha disse: "Meu Marcão era um amante tão bom, eu decidi despejar suas cinzas em um pote de pimenta, então ele poderá fazer a minha bunda arder mais vezes."




Piada 2:

Confissão

Em uma igreja um faxineiro estava limpando os bancos quando foi abordado pelo padre.

_ Pode entrar no confessionário e ouvir confissões para mim? Eu realmente tenho que ir ao banheiro e já tem gente lá querendo se confessar. Na maioria das vezes não fazem nada digno de arrependimento sério, sempre mando rezar 10 Ave-Marias.

O porteiro concordou, entrou no confessionário e do lado de fora um viado ajoelhou e começou a sua confissão.

_ Oh Deus, eu temo que eu tenha feito algo imperdoável. Tive pensamentos carnais e fiz sexo oral.

Atordoado, o faxineiro não tinha a mínima idéia de como lidar com esta situação. Certamente o pecado não devia merecer 10 Ave-Marias. Assim, em um momento de desespero o faxineiro entreabriu a porta do confessionário e perguntou a um coroinha que ia passando.

_ Filho, o que o ministro dá para o sexo oral?

Em resposta, o coroinha disse:

_ Duas barras de chocolate e uma Coca-Cola.




Piada 3:

Pedido do aniversariante

Um casal gay já estava junto a 25 anos comemorava o 60º aniversário de um deles. Durante a festa, apareceu uma fada e disse a eles que por terem sido um casal amoroso de todos aqueles anos, ela iria dar um desejo cada um.

Um deles disse:

_ Nós gastamos todo o nosso dinheiro em roupas, festas e em decorar esta casa, eu nunca cheguei a ver o mundo. Eu gostaria que pudéssemos viajar por todo o mundo.

A fada agitou a varinha e POOF! Ele tinha os bilhetes da viagem na mão.

Em seguida, foi a vez do aniversariante. Ele parou por um momento, e depois com um sorriso maroto disse:

_ Bem, eu gostaria de um namorado 30 anos mais novo que eu!

A fada agitou a varinha e POOF! Ele tinha 90 anos.




Piada 4:

Tirando o gosto da boca

Uma bicha entrou e sentou-se no bar.

_ O que posso fazer por você? perguntou o garçon.

_ Eu quero uma dose de cachaça, respondeu o jovem.

_ Você está comemorando alguma coisa?

_ Sim, meu primeiro boquete no Ricardão, falou a bicha.

_ Neste caso, deixe-me dar-lhe uma segunda dose de cachaça por conta da casa, disse o garçon.

E a bicha lhe respondeu:

_ Não precisa. Se uma dose de cachaça não me livrar do gosto de porra, duas não fará!




Piada 5:

Duas advertências na praia nudista

O viado resolveu passar as férias em uma praia de nudismo, pela primeira vez. Na entrada do acampamento, o guarda disse-lhe que ele só tinha que fazer era tirar a roupa, a fim de comungar com a natureza.

O viado entra na recepção e, depois de tirar suas roupas, ele foi para a praia para tomar seu primeiro banho em pleno sol.

Ao andar nas dunas ele viu uma placa que diz: "Cuidado com a sua bunda".

Ele continua a sua caminhada pela praia. Um pouco mais adiante, viu uma pequena placa fincada a um metro acima do solo. Ele chega perto e lê: "Cuidado com a sua bunda".

Ele decide continuar o seu percurso nas dunas, e, finalmente, viu uma pequena plaquinha colocada no chão, na areia. Há algo escrito em letras pequenas e então ele se inclina para ler o que está escrito em letras pequenas.

E ao mesmo tempo, ele sente uma forte dor na sua bunda, e um homem dizendo:
"Desculpe. Você teve duas advertências".




Piada 6:

O incêndio

Um incêndio alastrou-se por vários andares, então o chefe dos bombeiros deu ordens para seus homens sairam do edifício porque havia risco de desabamento. Depois dele contar e recontar, o chefe dos bombeiros se dá conta que ainda há um bombeiro no edifício.

Então, com muita coragem, o chefe dos bombeiros decidiu enfrentar o fogo e ir buscar o bombeiro que não tinha voltado. Ele finalmente chega num andar que ainda estava um pouco mais protegido da fumaça e do fogo, e ele encontra o bombeiro e um gay fazendo amor!

O chefe dos bombeiros gritou:

- O que você pensa que está fazendo? O edifício em breve vai entrar em colapso.

O bombeiro estava metendo a vara no gay, ele vira a cabeça e responde:

- Eu tinha de fazer algo: Ele tinha desmaiado por causa da fumaça!

E o chefe disse:

- Você é burro ou o quê? Nestes casos, é pra fazer respiração boca-a-boca!

Então, o bombeiro respondeu:

- Isso é o que eu fiz. Como você acha que tudo começou?




Piada 7:

Visita ao médico

Um cara vai ver o seu médico para um check-up. Após vários testes, o médico disse:

- Eu tenho estudado os resultados de seus testes, e eu tenho uma boa notícia e uma má notícia para você.

_ Diga primeiro a má notícia, doutor!

_ Você tem uma personalidade oculta homossexual.

- Oh, não, é horrível! E qual é a boa notícia?

O médico responde:

- Acho que você é um gatinho!




Piada 8:

Skol estragada

Um cara está doido para meter e encontra na rua um mendigo completamente bêbado e você sabe, cú de bêbado não tem dono. Depois de foder muito ele, deixa 50 reais para o infeliz. Quando o mendigo acorda, ele corre para comprar uma porção de lata de Skol e fica bêbado de novo e adormece embriagado.

À noite, o gay, volta para ver o vagabundo, e mais uma vez come a bunda dele. E deixa outros 50 reais para se sentir perdoado.

O mendigo acorda com 50 reais e vai para a loja da esquina e o vendedor lhe pergunta:

- Então, amigo, vai mais umas latinhas de Skol, como de costume?

- Não. Me dá da Brahma! A Skol me dá dor na bunda!





Piada 9:

Comendo a freira

Um cara entra no ônibus e senta-se ao lado de uma freira no banco
localizado logo atrás do motorista. E sem muita cerimônia pergunta se ela
gostaria dele comer o cú dela.

A freira educadamente declinou a oferta e desce do ônibus na próxima parada. O motorista do ônibus se vira para o cara e diz:

_ Se você quiser, eu sei o que você deve fazer para comer o cú desta freira!

O cara ficou animado e quis saber mais. O motorista diz a ele que todas as
terças-feiras a freira vai ao cemitério para rezar pelo repouso da alma do padre. E o motorista acrescenta:

_ Você só tem que ir lá vestido com uma túnica branca, com uma peruca de longos cabelos brancos, você diz a ela que você é Deus e ordena a ela que
dê o cú para você.

Terça à noite chega, o cara está com o disfarce esperando no cemitério. Como esperado, a freira entra e vai para o túmulo do padre. O cara aproxima-se dela sem ser visto e na semi-escuridão diz:

_ Eu sou Deus, eu ouvi suas orações e vou respondê-las, mas primeiro exijo que você dê o cú para mim!

A freira pensa no bem que fará à alma do padre falecido, então vai com o cara. Depois dele fazer tudo o que queria o cara olha para a freira e diz:

_ Ei, ei, eu não sou Deus, eu sou o cara que estava sentado ao seu lado no
o ônibus!

E a freira responde:

_ Ei, ei, e eu sou o motorista do ônibus!




Piada 10:

Esperando o bofe voltar pra cama

Carlão e Waldemar passaram uma noite maravilhosa no motel e Carlão está deixando a cama de manhã para dar uma mijada e antes de sair ele diz para Waldemar:

_ Não bate punheta não porque eu vou meter mais e fazer você gozar pelo cú. Promete que não vai gozar agora?

_ Prometo, Waldemar diz para Carlão.

Carlão já vai entrando no banheiro mas deu uma dúvida nele, abre a porta e diz pra Waldemar:

_ Promete que você não vai punhetar?

_ Prometo, eu juro que não vou bater punheta!

Carlão mija e abre a porta do banheiro e, que horror! Há porra por por toda parte, na cama, nas cortinas, no tapete, por toda a parte.

Carlão diz muito zangado:

_ Você prometeu!

Waldemar responde:

_ Mas eu não fiz nada, eu só peidei...




Piada 11:

Mijando no shopping

Um cara entra no banheiro do shopping para fazer xixi. Ele olha para o seu pinto e diz:

- Muito bom o que você fez a noite passada!

De repente, ele peida e diz:

- Cú, sem inveja, você também fez bonito a noite passada.



domingo, 23 de janeiro de 2011

Variedades de tudo um pouco

Neste domingo de verão estou com vontade de escrever sobre várias coisas, sem muita relação entre elas, coisas que achei legal na Internet e que gostaria de compartilhar com você. Um vídeo que gostei de ver foi esse do Renault Clio:


Um outro video mostra um pênis se masturbando. Nossa, tem gente muito criativa, fazer um video desse...


Agora duas piadas que me fizeram rir demais, mais porque mostram como as pessoas são, como elas reagem em certas situações:

Um homem está na fila da caixa no supermercado. De repente, observa que uma loiraça lhe acena e lança um sorriso daqueles de cair o queixo. Ele deixa por momentos o carrinho das compras na fila, dirige-se à louraça e lhe diz suavemente:
- Desculpe, será que nos conhecemos?
Ela responde, sempre com aquele sorriso:
- Pode ser que eu esteja enganada, mas penso que o senhor é o pai de uma das minhas crianças…
O tipo põe-se imediatamente a vasculhar a memória e pensa na única vez em que foi infiel à esposa, perguntando de imediato à louraça:
- Não me diga que você é aquela stripper do puteiro da Zuleika, que depois de um show de sexo total eu acabei comendo sobre uma mesa de bilhar, diante de todos os presentes, totalmente bêbado, enquanto uma das suas amigas me bulinava o tempo todo com uns nabos molhados e depois me enfiou um pepino na bunda?
- Bem… acho que o senhor está equivocado… Sou a nova professora do seu filho.



Uma vizinha fofoqueira pergunta para a amiga:
- Fernanda, você está doente? Te pergunto porque eu vi sair um médico da sua casa, esta manhã…
- Olha, minha querida, ontem eu vi sair um militar da sua e nem por isso você está em guerra, não é verdade?



Estava eu na You Tube assistindo um cantor italiano, novo, desconhecido, mas com uma bela voz, ele muito gato, e ai eu pensei, vou colocar o video dele no meu blog, afinal com esse rosto e essa voz, gay adora, e vai provocar um monte de visitas no meu blog. Resolvi antes de publicar o video em que ele está cantando perguntar para ele, enviei uma mensagem pedindo autorização para postar em Beaga24, ele respondeu que não podia, não porque o blog era gay, mas porque tinha pornografia. Ok, não ponho, Paolo, abafa!


Encontrei uma explicação do Vaticano no site Niobium para o problema da Igreja Católica ter tantos padres pedófilos: "Nombre de psychologues, de psychiatres, ont démontré qu'il n'y a pas de relation entre célibat et pédophilie, mais beaucoup d'autres ont démontré, et m'ont dit récemment, qu'il y a une relation entre homosexualité et pédophilie", a affirmé Mgr Bertone. "C'est la vérité, c'est le problème". Tudo bem, vai em português:

"Numerosos psicólogos, psiquiatras, têm demonstrado que não há relação entre o celibato e a pedofilia, mas muitos  têm demonstrado, e dito isso recentemente, que existe uma relação entre homossexualidade e pedofilia, disse o cardeal Bertone. Esta é a verdade é o problema."

Então tá, o Papa Bento XVI pode então retirar todos os padres gays da Igreja Católica e assim acabar com o problema de padres pedófilos. Alguém acredita nisso? E dizem que o Papa é infalível. 




NÍVEL DE GRADUAÇÃO: FAÇA UMA AVALIAÇÃO DA SUA CONDIÇÃO SEXUAL

1 – ESPORTES
- Futebol, automobilismo, Tênis , esportes radicais: MACHO
- Squash , boliche, voleibol: TENDÊNCIAS GAYS
- Aeróbica, spinning: GAY
- Patinação no Gelo, Ginástica Olímpica: BICHONA
- Os mesmos anteriores, usando short de lycra: LOUCA

2 – COMIDAS

- Capivara, javali, comida muito apimentada: MACHO
- Churrasco, Massas, Frituras: HOMEM
- Peixe e salada: FRESCO
- Sanduíches integrais: GAY
- Aves acompanhadas de vegetais cozidos no vapor: BICHA ASSUMIDA

3 – BEBIDAS
- Cachaça, cerveja, whisky: MACHO
- Vinho, vodka: HOMEM
- Caipifruta: GAY
- Suco de frutas normais e licores doces: MUITO GAY
- Suco de açaí, carambola, cupuaçu, com adoçante: PERDIDAMENTE GAY

4 – HIGIENE
- Toma banho rápido, usa xampu e esquece das orelhas ou do pescoço: MACHO
- Toma banho sem pressa, curte a água e soca umazinha: HOMEM
- Demora mais de meia hora e usa sabonete líquido: TENDÊNCIAS GAYS SÉRIAS
- Toma banho com sais e espuma na banheira: VIADAÇO ASSUMIDO

5 – CERVEJA
- Gelada e em grandes quantidades: MACHO
- Só cervejas extra, premium e importadas: HOMEM FINO DEMAIS
- Só uma às vezes para matar a sede: BICHICE SOB CONTROLE
- Com limão e guardanapo em volta do copo: BICHA
- Sem álcool: GAZELA SALTITANTE

6 – PRESENTES QUE GOSTA DE GANHAR
- Ferramentas, Garrafa de whisky: MACHO
- Eletrônicos, informática: HOMEM MODERNO
- Roupas: VIADO
- Flores, velas aromáticas, perfumes, bombons: DONZELA

7 – CREMES
- Só pasta de dentes: MACHO
- Protetor solar só na praia e piscina: HOMEM MODERNO
- Usa cremes no verão: BICHA FRESCA
- Usa cremes o ano todo: BICHONA TOTAL
- Não vive sem hidratante: FILA DE ESPERA DA OPERAÇÃO PRA TROCA DE SEXO

8 – ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO
- Animal de quê: MACHO
- Tem um vira-lata que come restos da comida: HOMEM
- Tem cão de raça que vive dentro de casa e come ração especial: BICHA
- O cão de raça dorme na sua própria cama: BICHONA TOTAL
- Prefere gatos: TOTALMENTE PASSIVA

9 – PLANTAS
- Come algumas de vez em quando: MACHO
- Tem umas no quintal, nem são regadas: HOMEM
- Tem plantinhas na varanda do apartamento: VIADO
- Rega, poda e conversa com as flores do jardim: BICHONA PERDIDA

10 – ESPELHO
-  Usa para fazer barba: MACHO
- Admira sua pele e observa seus músculos: GAY
- Idem anterior, e ainda analisa a bunda: LOUCA
- Admira-se com diferentes camisas e penteados: TRAVECO

11 – PENTEADO
- Não se penteia: MACHO
- Só se penteia pra sair à noite: HOMEM
- Se penteia várias vezes ao dia: FRESCO
- Pinta o cabelo: BICHONA TOTAL
- Dá conselhos de penteados: BICHAÇA LOUCA

12 – LIMPEZA DA CASA
- Varre quando o pó cobre o chão: MACHO
- Varre uma vez por semana: FRESCO
- Limpa com água, detergente e aromatizante: GAYZAÇO
- Usa espanador de pó e tem um avental: É A ESPOSA DO ESPANADOR

13 – FILMES
- Indiana Jones; filmes de Charles Bronson, Chuck Norris e Bruce Lee: MACHO
- Os Trapalhões, Loucademia de Polícia, Um Tira da Pesada: FRESCO
- Forrest Gump, A Lagoa Azul; filmes de Richard Gere, Leonardo di Caprio e Julia Roberts: BICHONA
- Super Xuxa contra o Baixo-Astral, Eliana e o Segredo dos Golfinhos: GAZELAÇA
- O Segredo de Broke Back Mountain: 
BICHONA PERDIDA



O Salário do pênis

Eu, Pênis, solicito aumento de salário pelas seguintes razões:
* Faço esforço físico no cumprimento de minhas funções;
* Trabalho em grandes profundidades;
* Mergulho de cabeça em tudo que faço;
* Não descanso nos fins de semana ou feriados nacionais;
* Trabalho em ambiente extremamente úmido;
* Não recebo horas extras;
* Trabalho em ambiente sem iluminação e sem ventilações adequadas;
* Trabalho sob altas temperaturas, sem climatização;
* Meu trabalho me expõe as doenças contagiosas;

RESPOSTA DA DIRETORIA
Sr. Pênis, após a revisão dos seus pedidos e considerando seus
argumentos, a DIRETORIA REJEITOU seu pedido baseando-se nos seguintes fatos:
* Você não trabalha 8 horas ininterruptamente;
* Você dorme durante o expediente após curtos períodos de trabalho em visível demonstração de ‘corpo mole’;
* Você não segue sempre as ordens da gerência e costuma visitar outras repartições;
* Não tem iniciativa. Precisa ser estimulado e pressionado para começar a trabalhar;
* Você deixa seu ambiente de trabalho bagunçado ao final do turno;
* Nem sempre você observa as normas de segurança de trabalho e abre mão de seu EPI – Equipamento de Proteção Individual. Ou seja, não veste a correta roupa protetora;
* Você se aposentará muito antes dos 65 anos;
* Você é incapaz de trabalhar dois turnos dobrados;
* Ás vezes você abandona sua posição de trabalho antes de completar a tarefa;
* Ou passa mal e vomita ou simplesmente desmaia .
* E se tudo isso não bastasse, temos observado que você entra e sai do seu local de trabalho carregando um saco de aparência suspeita.
Atenciosamente,
Diretoria





E pesquisas mais recentes apontam que o uso da camisinha pela população brasileira vem diminuindo. é uma questão para refletir, e ai, qual é a sua postura real sobre o uso da camisinha? Eu acho que sou viado demais, ando com a camisinha e o gel na carteira!



Estou recomendando o uso desta camiseta, afinal o que é bonito é pra se mostrar.


Não sei mas tem muito bofe hétero ignorante, na sesta-feira passada, eu e meu companheiro fomos à feirinha do bairro, tem venda de roupas, comes e bebes, e era unas 7 da noite, uma lua cheia linda no céu, resolvemos dar uma volta pela feira e depois nos sentamos na beira do canteiro central da avenida, tem uma mureta de uns 60 centímetros que dá pra sentar confortavelmente. Nós ficamos com vontade de beber cerveja mas ir embora, ou seja, a gente não queria sentar nas mesas de metal que haviam sido colocadas no meio da rua.



 Eu vi uns dois bofes conversando e perguntei: Quanto custa a cerveja aqui? Ele me viu e fez uma cara de estúpido, do tipo o que este viado tá pensando, e virou-se e continuou a conversar com o homem que estava junto dele, ou seja, ele gosta é de ficar na feita tomando cerveja com homem. Eu nem liguei, não ligo para as pequenas coisas, e quando a moça da barraca passou perto de nós, eu perguntei. Ela me disse que custava o latão da Skol uns três e cinquenta, achei normal o preço. E ele foi e buscou uma lata e dois copos plásticos.


A garota insistiu com a gente, senta na mesa, vou arrumar uma bem colocada pra vocês. Bom, nos convencemos de beber mais que uma lata, meu companheiro nem queria beber, mas ai eu fiquei contando piadas e "causos" e ele sossegou, parou de implicar com o lugar e as pessoas. E eu de vez em quanto olhava para aquele bofe que tinha me ignorado e sido malcriado, ele continuava na mesa, só que agora tinha chegado mais um bofe. E ele numa felicidade só no meio de tantos homens. Uma hora a moça da barraca ficou ao nosso lado e eu contei para ela uma piada:


- Você faz xixi na areia?
Ela me olha com cara entre indignada e surpresa, e responde Não.
- É que você é uma gatinha!


Ela riu e eu falei pra ela que eu tinha entrado num site que apresentava uma relação de contadas que caras falam para mulheres, e que eu achei essa muito legal. A garota toda hora voltava para nosso lado, e meu companheiro pediu um tropeiro e eu fiquei só bebendo mesmo, então a garota me perguntou se eu ia mais tarde no Mineiro Grill, um "point" gay de Belo Horizonte, e eu disse que não. Ela era do babado, disse que estava solteira, e que não ia no Mineiro Grill porque lá vai mais é homem.


Quando a gente estava para ir embora pra casa eu virei e falei pro meu companheiro "Viu só, você é todo amarrado, fica com medo, viu como eu fui eu mesmo e tudo correu bem? A gente fica longe de bofes mal resolvidos sexualmente como aquele cara que ignorou a gente, e sendo nós mesmos a gente pode ter a chance de encontrar outras pessoas homossexuais, fazer amizade, exibir para o mundo que nós estamos aqui e que merecemos estar aqui, mesmo numa feira de bairro, não há porque a gente não assumir ser gay. Afinal se somos gays 24 horas por dia, porque quando a gente sai a um lugar "normal" como a feira, e a gente não pode ser a gente mesmo?"

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Cuecas: W For Up

Uma surpresa encontrar cuecas com estampas diferenciadas mas foi o que eu descobri e gostaria de apresentar para você a marca W POR UP, uma confecção do bairro do Brás, em São Paulo. Produz camisetas também, porém vou apresentar aqui as cuecas. Por favor, visite a página da W For Up na Internet para maiores informações. Detalhe: a venda é feita em lojas, não há como comprar no site.



Acho de muito bom gosto o uso de cuecas boxer, e minha escolha é mais para as boxer com estampas ou em cores escuras. Há dois motivos para tal preferência de minha parte: criam um "peso" na região da cintura que contrabalança para quem vê as possíveis gordurinhas na parte exposta da barriga. Também cuecas estampadas ou escuras "escondem" as eventuais manchas causadas pela inevitável urina e restos de cocô, que por mais higiene e cuidados que a gente tem, quando insistem em marcar a cueca causam uma péssima impressão.



Acredito que cuecas boxer, mais que outras como a do tipo slip e mesmo sungão, ajudam a não revelar tanto as coxas mais finas ou menos atléticas. É verdade que as cuecas boxer para quem tem coxas mais firmes e grossas ficam bem, mas pensando melhor, quem tem coxas bonitas e exercitadas, como as de quem pratica esportes (bike, natação, corrida...), ficam bem usando qualquer modelo de cueca. 



Cores lisas de cores intensas, como vermelho, laranja, amarelão e afins ficam bem em pessoas mais morenas, devendo ser usadas com cuidado por pessoas mais claras. Se estas cuecas, inclusive as do tipo boxer, não tem muitos ou nenhum detalhe, como esta vermelha ai de cima, onde o detalhe está na cintura, mas estou me referindo a detalhes na parte do tecido, então há mais possibilidade de aparecer mais os contornos do saco e do pau. Perdoe-me a vulgaridade, corrija para contornos do escroto e do pênis. De modo que se você tem saco e pau que não dão volume, procure fugir deste tipo de cueca, exceto se você nunca exibi-la aos outros, claro.



Mas essas recomendações não são leis imutáveis, é óbvio que você usa o que quiser, quando quiser, para quem quiser ver, é um direito seu. Estou dando estas dicas sobre a escolha e uso de cuecas a fim de melhorar a "gentileza" da pessoa para com quem vai ver a cueca, como o namorado ou admirador. Parto do princípio que a cueca é um elemento do vestuário que diz algo sobre a pessoa, revela quem é a pessoa, ou dizendo de outro modo, quem se interessa para o que os outros pensam, veste-se em acordo com certas indicação da moda.



Se você não tá nem ai com a moda nem se numa possível intimidade você mostra qualquer cueca, então não sei porque está lendo até agora! Você pode até estar coberto de razão por não se preocupar ou perder tempo com qual cueca você usa, afinal tem coisas muito mais importantes no mundo, não é mesmo? Provavelmente quem  transa ou convive com você está mais interessado mesmo no seu corpo, somente, e não nos adereços dentro dele e sobre ele. Uma pessoa assim que já veio perfeita ao mundo realmente não tem que se preocupar com essas bobagens.



Considerando que a indústria da moda íntima masculina disponibiliza no comércio uma variedade imensa de cuecas, penso que o assunto é relevante. Então, supondo que quem fabrica o faz para atender as necessidades dos consumidores, chego a conclusão de que os estilistas estão antenados com o bom gosto e bom senso de certa fatia da população masculina. Se você pensa assim também, ótimo. Usar uma cueca bonita e de qualidade, não desprezando os quesitos conforto, durabilidade e preço, é, na minha modesta opinião, uma obrigação para quem é gay, principalmente.



Nós, homossexuais, inteligentes e se possível com um certo poder aquisitivo, podemos usar cuecas como as da W For Up. Este modelo branco "bordado" e com certa transparência, seria recomendável a pessoas que não tem muitos pelos na bunda e na área genital, uma vez que os pelos "escurecem" a região do corpo. Aliás, o uso de cueca tipo slip por parte de pessoas com muitos pelos pode causar a "fuga" dos pelos pela parte de cima, na cintura. Ou os pelos "fugirem" pelas coxas, ficando os pentelhos dando um alô para fora. Pode ser engraçado, talvez hilário, mas considero isso mais como um desleixo. 



Falando em pelos na área genital masculina, muitos homens gays acham que não é preciso apararem de modo que os pentelhos na área púbica, saco e lateral da coxa ficam crescidos, talvez ásperos e enrolados. Questão de gosto não se discute, quem acha que pentelho é sinal de virilidade ou beleza ou charme, curta seus chumaços de pelos, ora! Porém, em termos de moda, é recomendável aparar os pelos de vez em quando, senão uma única vez na vida. Não estou dizendo cortar com a máquina "zero",  estou falando de dar uma abaixada. Exceto se fazer isso vá, de algum modo, compremeter o charme pessoal. Percebeu que a ideia é sempre acrescentar algo na pessoa, nunca diminuir?



A moda íntima masculina é um artifício que nós gays podemos nos utilizar para dar uma incrementada, uma qualificada, uma apimentada, no nosso visual. E os héteros não? Claro que sim, só que meu blog não se destina aos homens héteros, se bem que se eles curtem meu blog, sejam bem-vindos, mas meu blog tem como público-alvo gays que gostam de ser gays, tem orgulho de ser gays, se importam com a aparência, com a etiqueta, com ter um estilo.



Vou confessar pra vocês que teve uma época que eu, que sou ligado em vestir-me o mais próximo do que se chama vestir-se adequadamente, respeitando as considerações e orientações que a moda impõe, já tive uma fase em que eu usava qualquer cueca. Minhas cuecas lá pelos idos de 1980 eram a branca slip básica, nunca havia usado outro tipo de cueca, como sungão, boxes, trunk, jockstrap. Uma noite eu e "amigas" fomos a um apartamento de uma delas para uma festa, festa esta mais para um encontro de "amigas" mesmo. E num certo momento resolvemos tirar a roupa e ficar só de cueca.


Não era obrigado a tirar a cueca, mas como estava pura diversão, cada um levantava e só de cueca fazia um show de transformismo improvisado, enrolando papel higiênico e papel alumínio e o que achasse, eu meio bêbado resolvi também fazer uma performance. Só depois que acabou, de eu ter me contorcionado e jogado os cabelos (ha ha ha - eu sou careca!) é que eu descobri que eu tinha um risco de bicicleta marcado na minha cueca slip branca. É lógico que as "amigas" riram mais da marca de cocô na minha cueca do que da minha performance.


Este vídeo acima não tem nada a ver com as cuecas da W For Up. Eu achei oportuno publicá-lo aqui por que fala de pessoas "diferentes". Meu blog são para essas pessoas "diferentes", ou seja, gays. Eu admiro alguém que se assume gay, mesmo que intimamente, porque por algum motivo não se quer ou se pode assumir isso para a família, amigos, para a sociedade... Para essas pessoas é que eu escrevi essa "bobagem" sobre cuecas, para que gente gay como você e eu possamos curtir a vida com mais beleza, com mais amor, com mais alegria, com mais verdade! 





A camiseta é da W For UP, fiz a compra numa loja no Shopping Xavantes, em Belo Horizonte. É um shopping popular, ou seja, um empreendimento montado inicialmente para abrirgar os camelôs de rua, mas em um momento posterior tornou-se um local de compras com a Prefeitura de Belo Horizonte orientando os novos empresários a trabalhar de forma legal (sem contrabando). Há uma variedade de camisetas W For Up mas as cuecas só chegarão no começo de fevereiro de 2011.