domingo, 14 de novembro de 2010

Zoológico de Belo Horizonte

No sábado eu e meu companheiro fomos ao Zoológico de Belo Horizonte, situado na Pampulha. O dia estava nublado lá pelas 10 horas da manhã mas fresco. Preferimos assim, porque ficar andando no zoológico debaixo de sol é muito ruim. Então posso dizer que a temperatura e o tempo estavam ideais, só deu uma chuva lá pelas 3 da tarde, quando já estávamos saindo. Eu logo achei um pau para segurar, na rua interna que vai da portaria até as primeiras edificações do zoológico.



Morando faz uns 20 anos em Belo Horizonte e eu nunca tinha ido ao zoológico, um dos motivos eu acho ser o fato de que eu não acho divertido ver bichos presos. Mas pensando bem, eles estão presos sim, mas tratados com todo cuidado e respeito, então eu concordei em ir vê-los. Que maravilha é o zoológico! Imenso, bonito, bem cuidado. Mas tem que ter saúde para andar e andar e andar... mas vale a pena!!!


Há muitos bichos, gosto mais de ver aves e mamíferos. Você poderia pensar que adoro ver cobra, né? Mas sabe que até cheguei na frente do cercado de cobras mas eu não quis ver: "cobra de um olho" só é que eu gosto de ver ha ha ha. Portanto, não entrei para ver as cobras. Depois de passar perto das cobras me deu vontade de chupar alguma coisa, por sorte, o sorveteiro estava bem perto. Comprei um Magnum para mim e outro para meu companheiro, uma delícia, com aquela casca por cima de chocolate, hummmmm. Vimos o rinoceronte, que é o animal que mais mata gente na África, mas ele não quis nada, só ficou parado, na dele.


Fomos andando e o Magnum acabou mas a vontade de comer sorvete não, então no passeio há umas barracas de vendedores de comidas e bebidas. E um sorveteiro, que sorte, só que não era Kibom, mas uma marca sem nome. Eu pedi um cascão de três bolas para mim e outro para meu namorado. Cara, o vendedor de sorvete era muito educado e sorridente mas o sorvete, que soverte mal feito! Fomos lambendo o cascão, e eu sem muita paciência sou mais de morder o sorvete, comentei com ele que o sorvete estava deixando a desejar e meu namorado falou: "Depois de você comer um sorvete Magnum qualquer outro sorvete vai te parecer ruim..."


Eu e ele procuramos ficar mais isolados pois não gostamos de aglomeração, e isto foi um dos motivos de irmos num sábado. Mas não deu para ficar separado, vinha criança, mulher e caras fazendo barulho e ficava difícil apreciar a natureza com o zum zum do povo. E eu fiquei irritado mas não disse nada para os ignorantes que insistem em dar comida por animais, mesmo a placa avisar que não se deve fazer isso. Foi o caso do macaquinho na árvore da rua principal do zoológico. Uma mulher ficava com um pedaço de banana mostrando para ele, o danado do macaquinho muito engraçadinho, que na verdade deve ser visto de longo, foi incomodado pela mulher e sua banana e desceu para pegar a banana. Me deu vontade de mandar a mulher tomar no cuzão dela, mas fiquei na minha.


Mas tinha que ser mulher, não é, para encher o saco. E chegamos na parte do Urubu-Rei, maravilhoso, grande, exuberante, portentoso. E quisemos tirar foto dele e ele ficava só catando-se. Ficava difícil ver a cara dele porque ele torcia o pescoço e bicava as penas, sumindo a cara. Mas ai vieram duas mulheres, elas ficaram próximas à tela para olharem o Urubu-Rei. E então, surpreendentemente, o Urubu-Rei parou de se limpar e olhou finalmente para elas. Nesse momento tiramos a foto dele. Ficamos contentes de até que enfim o bicho olhou para frente. Então eu fui andando e fiz um comentário pro meu namorado: "Bem que apareceu aquelas duas mulheres com cara de mortas para fazer o Urubu-Rei olhar para elas..."


Tive uma agradável surpresa ao rever a estátua original, na verdade as duas estátuas dos leões de mármore branco. Elas enfeitavam a praça da Estação Ferroviária, no hipercentro de Belo Horizonte. Por causa do vandalismo, foram retiradas as duas estátuas dos leões brancos e colocaram duas cópias, de concreto na praça. Descobri que as estátuas originais estão aqui no zoológico, ainda bem. Não tinha a menor ideia de onde foram parar, pensei até que algum político tinha levado elas para a sua propriedade particular, como no caso do que aconteceu (dizem) com candelabros do Palácio da Liberdade, que certo governador (dizem) retirou e instalou na sua fazenda. Inclusive essa "autoridade" se candidatou nas últimas eleições para deputado federal, e perdeu, ainda bem, uma porcaria a menos no Congresso...


Esta foto ai encima é a da moradia do gorila Idi Amin, a principal "celebridade" do Zoológico de Belo Horizonte. O chamariz de público, porém, é muito tímido ou estava de mal humor, de forma que foi uma luta para vê-lo nessa nossa visita. Ele apareceu muito rapidamente quando saiu de seu esconderijo para tomar um solzinho, e logo voltou a esconder-se. Olha, fiquei encantando com o animal, show mesmo ele! Só tem dois gorilas no Brasil, um em Belo Horizonte e outro em São Paulo. Estes são os dois únicos gorilas na América Latina. Há um cartaz dizendo que nos Estados Unidos e na Europa tem uns outros 700 gorilas em zoológicos. Cara, o governo brasileiro bem que podia trazer mais gorilas para preservar a espécie. Dois gorilas só no Brasil é muito pouco.


Fugindo de grupos de crianças e família encontramos o cercado do veado, até convidei ele para ir para a boite comigo, mas ele nem quis saber, passou perto de nós e foi-se embora. Nem trocou umas ideias. E eu bem que queria encontrar algum gay no zoológico mas não vi nenhum, acho que só eu e meu namorado e o bicho da foto. E olha que o zoológico é tão amplo e sossegado que dá para gay marcar encontro em algum canto, para conversar ou mesmo algo mais íntimo, como em algum momento dar as mãos e mesmo trocar um beijo. É certo que é um local familiar, não cabe expressões de maior contato físico, mas que é um bom lugar para gay marcar encontro para se conhecer, isto é. Agora, para pegação acho que não é bom lugar.


Não estou incentivando ninguém a ir procurar sexo no zoológico, gente. Só dizendo que é um bom lugar para você marcar conhecer alguém. Porque você sabe que se você vai encontrar um cara pela primeira vez deve fazê-lo em um local público e movimentado, por vários motivos, um deles, senão o principal, é se não der certo o encontro você pode sair discretamente. Outro motivo, tão bom e razoável quanto aquele, é que se for uma "roubada", você está em segurança para evitar ser prejudicado (um roubo ou até uma agressão), e você sai "linda e maravilhosa" protegido pelo local e as pessoas no local. Por isso acho que o zoológico é um bom lugar para primeiro encontro, desde que você fique nas áreas mais centrais, onde tem mais gente e mais visibilidade. Além do mais, é um lugar lindo, só vai favorecer você e o cara se conhecerem, não é?


Se você é um cara legal e passar em Belo Horizonte, querendo me conhecer (lembrando que eu sou casado com um homem, um cara super legal, já faz 5 anos) e quer fazer amizade ou só ter uma companhia pra te mostrar a cidade, eu me ofereço para te fazer as honras da casa. Um dos lugares que eu gostaria de te levar (olha, não sei dirigir e não tenho carro), é o zoológico. Nesse dia o sol estava fraquinho, fazia sol sim mas como estava meio encoberto por nuvens, não deu para eu tirar a camisa. Mas num lindo dia de sol de verão, já pensou, nós lá passeando e tomando sol, rindo e curtindo a vida no zoológico? Um bom lugar para a gente aproveitar o que o Universo (ou se quiser, Deus) nos deu, tantas maravilhas que a gente pode se sensibilizar com tanta beleza e harmonia.


Chegamos à mais nova atração da Fundação Zoobotânica, o nome da instituição que cuida do zoológico, que é o Aquário Temático do Rio São Francisco. São cobrados R$5,00 (preço pago em novembro/2010) para entrar. Você só verá peixes que existem no Rio São Francisco, rio que nasce em Minas Gerais e passa pela Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe. Além dos aquários há um auditório onde fica passando um vídeo sobre os rios que estão em Minas Gerais, vídeo esse que eu quase chorei, de tão lindo que é. Trata-se de uma poesia que vai sendo lida falando das águas e rios de Minas Gerais. Tem uma parte que diz "Minas só se ajoelha para Deus", parte que fala do jeito de ser dos mineiros, amantes ferrenhos da liberdade.


Nota-se que os peixes de água doce não são tão coloridos como os do mar, porém isso não tira seus encantos. Também não se deve esperar que um rio tenha tanta variedade quanto o Oceano Atlântico, não é? O aquário é todo novinho, bem sinalizado, você vê os peixes e na placa acima do vidro tem o nome comum e o nome científico do peixe. Até piranha tem no Rio São Francisco, eu não sabia, você sabia disso?



Uma beleza o aquário, sem dúvida! Vale a pena visitá-lo. Não é um espetáculo como o que tem em Dubai, por exemplo, mas todos nós brasileiros devemos ter cuidado e respeito pelo Aquário de Belo Horizonte pois é onde estão os peixes do rio da integração nacional, brasileiríssimo, coisa nossa, que ninguém mais no planeta Terra tem, só aqui! Peixes tem em todo lugar, mas esses são especiais, são peixes que estão no Rio São Francisco, expressão da vida do lugar, da água que sacia tantos milhões de ribeirinhos. Eu acho que o Rio São Francisco é motivo de orgulho para todos nós, gaúchos, paulistas, matogrossenses, paraibanos, etc. No vídeo que passa no auditório diz uma frase que o Rio São Francisco é um presente que Minas Gerais dá para o mar...


Você pode ir ao andar de cima e observar o aquário por outro ângulo, porém devido as "ondas" na superfície da água, não dá pra ver os peixes muito bem. Bom, por fim, saímos e voltamos para casa. Tivemos um sábado feliz. Espero sinceramente que você também tenha um lugar aí na sua cidade no qual você se sinta bem consigo mesmo e com as pessoas que você ama, local este que te revitalize, te equilibre, te faça se sentir ligado com as coisas belas e cheias de vida que estão à disposição da gente. É só a gente se decidir por encontrá-las, fazer um esforcinho e ir ao seu encontro e deixar que elas nos digam alguma coisa, nos ensinem alguma coisa. Um abraço do seu amigo Naldo, até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário