domingo, 18 de abril de 2010

Será que pareço viado?

Outro dia estava indo para o apartamento de minha costureira para arrumar uma roupa e na avenida principal do bairro dela há um prédio de um antigo cinema que fechou e por uns tempos virou uma igreja universal dessas por ai. Mas nem isso deu certo, e ficou fechado por mais de um ano. Quando passei em frente vi que estava em reforma e me deu vontade de saber o que iria virar.



O que eu nem imaginava que podia acontecer, aconteceu. Não sei se o que eu senti com o que aconteceu foi raiva ou indignação. Como eu parei bem na porta da entrada e você sabe que entrada de prédio de cinema é larga, eu vi lá dentro que estava em obras mas meio parado porque era na hora do almoço e os peões estavam na porta batendo papo, uns 5 deles. Eu parei para olhar dentro e perguntei para o que estava mais próximo de mim, perguntei normalmente como você faria ou qualquer pessoa faria o que é que o lugar ia ser.



O desgraçado disse que ia ser uma boate, uma boate gay! Eu de início tomei como verdade mas isso só foi por uns 10 segundos porque então eu me deparei que ele estava me zoando. O lugar nunca se tornaria uma boate gay porque naquele lugar da avenida não dá pra ter uma boate gay. Muito movimento de carros e ônibus (ponto bem na frente), não tem como estacionar carros ali, tem muitos prédios residenciais altos do lado, um supermercado imenso do outro lado que fica aberto 24 horas. Enfim, não dava para ser ali uma boate gay.



Já que falei de igreja, vai uma piada.

O bêbado passa em frente a um templo evangélico e escuta o maior barulho, gente chorando, gritando, desmaiando, berrando, estremecendo.
Ele pergunta a alguém que está na porta
- Que é que está acontecendo aí dentro?
- Jesus está operando, irmão!
E o bêbado:
- Esse cara não usa anestesia não?


Nenhum comentário:

Postar um comentário