quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Sobre a rua onde moro e outras putarias

Moro em uma rua larga e movimentada na periferia de Belo Horizonte e desde que conheço tem puta fazendo ponto na rua. Não tenho nada contra puta, mas essas são uma puta que o pariu de desagradáveis. Não acho mesmo que são putas realmente, são umas mulheres mal resolvidas psicologicamente e com baixíssimo nível de instrução, ou seja, pessoas que nem sabem pensar no mínimo em como viver no mundo.




Mas eu estou falando das putas da minha rua, é lógico que tem todo tipo de puta. Por exemplo, uma época, muitos anos atrás, eu paquerei um cara que era o gerente de um bar instalado na cobertura de um hotel no centro da cidade. Não era bem um hotel, era um puteiro, isto sim. Todos os andares os quartos eram cheios de puta e os caras passando pelos corredores a fim de puta. Eu entrava no hotel-puteiro e ia para o terceiro andar e chegava no bar, parte era a céu aberto e parte coberta. Meu paquera me esperava porque ia num horário combinado. Ficava lá conversando com ele, bebendo cerveja e comendo peixe frito que ele fazia para mim. E as putas vinham pra conversar com ele e eu também conversava com elas. Tudo bem pra mim. Agora essas putas fudidas da minha rua são uó total.



Conheci mais puta de profissão como essas do hotel-puteiro mas mais fina, tipo garota de programa. Isto aconteceu num local de jogo de sinuca no centro da cidade. Você deve estar notando que eu na época gostava de ir a lugares exageradamente héteros, sim gostava mesmo. E como não sou e nunca fui afeminado ou indiscreto, entro nesses lugares e passo batido. Então estava lá eu sozinho e numa mesa perto das mesas de sinuca vendo os caras jogarem. Aí na mesa do meu lado estava um casal e começamos a comentar o jogo de sinuca que a gente via, e fizemos amizade. Ele era casado e ela era uma garota de programa, mas quem olhava pensava que eles eram namorados porque pareciam um casal apaixonado pelo jeito que eles se olhavam e se pegavam.


Passamos a noite bebendo juntos, jogar sinuca mesmo nada, eu fiquei sabendo que ela faz programas mais caros, ela não é uma puta de pouca grana não. Contou que uma vez foi fazer sexo com um cara que morava numa mansão na Pampulha e chegando lá o cara queria que ela deitasse com ele dentro de um caixão aberto que ele tinha no quarto e ele ficaria deitado "morto" e ela entraria no caixão e sentaria na pica dele. Acho que a pica se estava dura então ela, a pica, pelo menos, não estava morta...



E por ai vai, nem te conto mais uma. Estava eu na Praça Sete numa galeria e pegava a cerveja no bar e ficava no corredor vendo o povo indo e vindo. De noite, calor, animação, sabe que em Belo Horizonte barzinho é diversão popular, e eu ali de olho nos bofes vendo se arrastava um pro motel, qualquer motel, no centro tem dezenas deles, esperando um cara que me atraísse a atenção passasse. Até que apareceu um e eu acabei me aproximando e falando com ele sobre os Guns Roses que estava tocando, sucesso na época, e papo vai, pago vem, digo o que quero com ele, ele disse tudo bem mas vamos beber mais. Ótimo, disse, e ai uma puta o viu. Esse cara era bonitão, e estava comigo mas a puta achava que era só dois macho conversando e deu em cima dele. Ele deixou ela chegar mas saiu fora, deu uma cortada nela. Ela foi embora e ai ele me saiu com essa: "Olha, você acha que eu vou comer uma aeroputa?" Eu ri demais, só então eu me dei conta que a garota estava com um desses conjuntos parecendo uniforme de avião, roupa de comissária de bordo, e ele disse que a roupa dela era de aeroputa. Ha Ha Ha

Nenhum comentário:

Postar um comentário