sábado, 9 de janeiro de 2010

Não fui para a praia mas...

Pena mesmo, o verão com sol está para praia mas eu neste começo de ano cheio de contas para pagar, não fui para a praia. Se no Natal eu conseguisse não comprar tudo (quase tudo) que eu queria eu agora não estaria endividado e sem a possibilidade de ir para a praia, coisa que eu tanto amo.




Todo ano eu ia para a colônia de férias em Itaóca, ES, porque ficava mais em conta financeiramente, porém nesse verão meu plano inicial era ir para Guarda do Embaú, SC, que pelas fotos do Panoramio é um lugar paradisíaco, considerada como uma das praias mais bonitas do Brasil. Vou deixar para agosto inclusive devido a tarifa da Gol estar mais em conta, fazendo a reserva antecipada por apenas uns R$150 a ida e o mesmo para a volta. Não suporto ficar horas e horas viajando dentro de um ônibus, avião é então a minha alternativa natural. Exceção que faço é viajar de trem de Belo Horizonte à Vitória, eu sugiro que você faça esse percurso de trem um dia, você vai amar. Ar refrigerado, poltronas largas, janelas amplas, atendente de bordo, vagão-restaurante, bom, são estas as principais vantagens que eu percebi. Sendo que a principal vantagem mesmo é o que se vê fora da janela: o sertão do nosso Brasil, maravilhoso!




Sobre praia me lembro que comentei com o meu urologista que eu achava incômodo usar sunga e o bilau ficar pequeno na sunga e não fazer um volume "interessante". Eu sei que é um questionamento que não tem nada a ver com doença das partes íntimas masculinas, mas mesmo assim eu aproveitei a consulta e questionei o médico sobre o aumento peniano. Você pode até achar que eu fui além da conta mas eu penso o seguinte: ele é um médico e eu um paciente com um problema, vou expor o meu problema e se ele disser que não é pertinente ao que o atendimento oferecido pela clínica faz, então basta ele dizer que não pode me ajudar. Pelo contrário, ele foi muito atencioso e me disse que eu poderia sim fazer com que o meu pênis ficasse mais exposto se eu usasse um aparelho de aumento peniano, desses que vendem na Internet, chamado na verdade de extensores. Eu compraria e voltaria lá com o meu urologista e ele me ajudaria a colocar no lugar, ou seja, no meu pinto.



Tem pessoas que acham que os extensores penianos não são artefatos médicos e sim só um desses aparelhos de sex shop, mas o certo é que são considerados um auxílio médico sim para o aumento do comprimento do pênis, tanto é que o meu urologista disse que eu poderia usar mas a colocação eu teria que fazer no consultório dele para evitar o uso inapropriado com a possível lesão do meu pinto. Eu expliquei a ele que meu caralhinho tem 18 centímetros quando duro mas quando mole fica ridicularmente nuns centimetrozinhos infelizes e isso me incomoda quando uso sunga na praia. Porque é lógico que na praia meu pau não fica ereto, nem é pra ficar, mas poderia ficar um pouco maior dando um volume na sunga, isso é que me fez levar o problema ao urologista e pelo jeito, é uma solução viável e que a medicina aceita. Pra que ficar com meu pinto mole parecendo um dedinho murcho se a medicina pode fazer que fique maior na sunga?



Acontece que eu não comprei o extensor peniano pelo simples motivo que se eu for usar eu tenho que usar também calças largas o tempo todo porque o aparelho não pode ser tirado, deve ficar instalado no pinto o tempo todo para que haja o estiramento celular. Com a tensão criada sobre o pau as células se reproduzem o que vai fazendo aumentar o pau. É este o princípio, o esticamento é que vai fazer o pau ficar mais comprido. Como eu não queria ficar na ocasião da consulta com o urologista com o aparelho instalado 24 horas por dia, acabei não comprando. Acho que agora eu vou comprar e usar já que tenho uma situação que me permite usar bermuda na maior parte do tempo, ou posso usar calças mais largas também se o lugar onde for pedir calça comprida.



O que a vaidade não nos leva a fazer...

Nenhum comentário:

Postar um comentário