quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Beijo na boca, tô de acordo com a periguete

Uma coisa que é basicão é o cara saber beijar, nada pior que a gente se encantar com o sorriso, o jeito de olhar, etc e na hora que chega junto e dá o beijo na boca, a coisa não dá aquela eletricidade na gente. Beijo parece impressão digital, cada um tem diferente, não tem dois iguais. É uma marca da pessoa, e se a pessoa não sabe beijar, mal sinal. Beijo é uma forma de dizer "eu sou assim", portanto, um beijo fraquinho e sem vida significa que a pessoa não rende de calor humano, de cumpricidade, de intimidade. Pode haver excessões, de o cara beijar mal e fuder maravilhosamente, mas pela minha experiência de vida, o beijo é como um cartão de visita dizendo pra gente: é assim que sou.



Me lembro que uma vez eu fui numa cidade do interior visitar uns parentes e o povo de lá apertava a minha mão de uma forma mole, sabe, sem firmeza e sem nem mesmo a palma da mão ficar inteira  em contato, dava uma espécie de relada e não aquele apertão. A gente pode dizer, ah as pessoas do interior (não estou dizento que todos no interior fazem assim, estou dizendo que no interior de Minas Gerais aconteceu assim) são tímidas e apertam a mão das pessoas de fora sem intensidade, da mesma forma há caras que beijam de um jeito que deixa a desejar. Fica a coisa parecendo que dão um beijo "aperto de mão do interior". É uma pena porque, ainda mais quando a gente está entrando numa situação nova, a gente quer ser bem aceito e recebido, e numa relação afetiva com um macho é muito bom quando o contato físico demonstra algo do tipo "você é bem-vindo aqui" no meu corpo. O beijo é a primeira oportunidade de se dizer um para o outro "você é bem-vindo aqui".



Particularmente eu acho que uma coisa que diz muito sobre a pessoa é se durante o beijo o cara vai logo fechando os olhos, para mim isso significa que o beijo tem alma, é dado com sentimento profundo, vem lá de dentro da parte mais bonita da pessoa. Qualquer ato de abrir os olhos durante o beijo interrompe o fluxo do carinho e do tesão que vem do interior da pessoa. Eu sempre fecho os olhos para beijar, não sei se o cara está de olhos fechados ou abertos. Costumo perguntar depois se ele faz beijo de olhos fechados, se diz que às vezes dá beijo com olho aberto, mesmo que numa parte do beijo, eu já acho que isso significa que o cara tem alguma resistência, prevenção ou insegurança. Talvez algum incidente no passado com outro cara fez com que ele não deixe fluir o que é de mais bonito e profundo nele, essa coisa que vem de dentro e passa para a gente na troca de encontros de lábios, e por que não, de línguas.



Há um tipo de beijo, se é que se pode dizer que tecnicamente seja beijo, que é dado no pescoço, na verdade é um misto de beijo e lambida, será que você sabe do que estou falando? Dá um tesão danado esse tipo de beijo deslizante na nuca indo até atrás da orelha, voltando de trás da orelha até a nuca. Se fosse uma lambida não teria graça, é gostoso porque é algo como um beijo, um beijo não, mil beijinhos quentinhos e estalados. Acompanham geralmente um abraço daqueles que tiram o fôlego. Como a gente não vê o cara fazendo isso no pescoço da gente, tem algo de surpresa no ato, a gente precisa estar confiante e se entregar, ir sentindo o carinho e o desejo do cara ir passando da boca dele para a nossa pele. Se o cara usa um perfume gostoso, ou uma boa colônia pós-barba então, o tesão que dá faz as pernas da gente ficarem bambas e dá um friozinho na barriga. Tem gente que não liga pro perfume, tudo bem, mas a relada de barba dele, isso não se discute!



Gostaria de te revelar algo que aconteceu comigo na década de 1980, um pouco depois que me mudei de Campinas para Belo Horizonte. Eu ocupava o meu tempo livre nadando e fazendo musculação na YMCA, isto é, Associação Cristã de Moços, pra quem não sabe. Lá conheci uma sapatão que era boa companhia de conversa na musculação, ela era na época era campeã de fisioculturismo de Minas Gerais. Eu conhecia pouco da cidade e ai ela disse que ia me levar para a "Rua da Lama", um trecho de rua perto da Praça da Liberdade que tinha vários bares mix e gays. Topei de ir com ela e nos encontramos lá umas nove horas da noite. Ficamos numa mesa conversando e tomando todas as cervejas e num dado momento chegaram umas mulheres na nossa mesa e era só alegria. Todo mundo falava e contava "causos", que é como se diz aqui dos acontecimentos da vida, e num dado momento essa minha amiga da YMCA disse que quem soubesse o nome de certo cantor iria ganhar um beijo. Eu não levei a sério que ela me beijaria, afinal era sapa, gostava de mulher, e eu mesmo sendo viado era um homem, ela não me beijaria, e respondi o nome do cantor. Porra!!! Ela disse que ia me beijar porque acertei e eu brinquei e brinquei, deixa isso pra lá, mas ela me deu um beijo na boca, rápido mas deu. Foi a primeira e única vez que uma mulher me beijou na boca.


Nenhum comentário:

Postar um comentário